Coluna do dia

Correlação de forças

O momento pré-eleitoral, que enseja definições de quadros partidários até o dia 7 de abril, associado ao momento político de extremo desgaste de siglas tradicionais e à eterna luta por espaços dentro das legendas, está mudando a correlação de forças em Santa Catarina.

A começar pela bancada federal catarinense. O PSD, por ora, é o partido mais atingido. João Rodrigues, detido em regime semiaberto, está fora da vida pública. Deve desembarcar da agremiação. João Paulo Kleinübing, desejando colocação majoritária este ano, migrou para o DEM. Significa que o PSD vai ficar com um deputado federal. Entrou em 2018 com três federais. Quem fica é Cesar Souza (pai), que não vai disputar a reeleição. Tentará eleger o filho, ex-prefeito de Florianópolis, Cesar Junior, no seu espaço eleitoral.

O MDB também pode contabilizar pelo menos uma baixa. Aumentam as informações de bastidores dando conta que o deputado federal Valdir Colatto articula para assinar ficha no PSL de Jair Bolsonaro. Se confirmar, o Manda Brasa de SC  ficaria com quatro parlamentares na Câmara Federal. Tem cinco atualmente.

 

Retorno

O quadro de mudanças na correlação das forças partidárias e a saída de cena de João Rodrigues trará de volta à disputa o ex-deputado federal Hugo Biehl, pepista de carteirinha.

Em 2002, ele não conquistou a cadeira de senador por apenas 14 mil votos. Biehl está animado. Também  porque Esperidião Amin, hoje deputado federal, estará na majoritária.

 

Janela da vergonha

Levantamento do Portal G1, do Grupo Globo, revelou que somente nesta legislatura 135 deputados, ou um quarto da Câmara, já trocaram de partido desde 2015. Trinta e quatro destes mudaram de sigla mais de uma vez. Farra propiciada também por janelas como a que abriu em 7 de março e vai até 7 de abril, permitindo que deputados troquem de legenda sem o risco de perderem os mandatos. Uma vergonha.

 

Mobilização petista

O Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina promoveu reunião ampliada na noite de segunda-feira em Florianópolis. Participação de movimentos sociais e lideranças políticas. Também presente o coordenador nacional da Caravana de Lula e do vice-presidente nacional do PT, Marcio Macedo. O objetivo do encontro era debater a agenda do ex-presidente em Santa Catarina.

 

Desembargador no páreo

A reunião, no entanto, contou com um fator surpresa, a presença do desembargador Lédio Rosa de Andrade. Ao lado do presidente estadual do PT, Décio Lima, Lédio recebeu o convite formal do vice-presidente nacional do PT, Márcio Macêdo, para ingressar na sigla partidária.

O momento do pedido foi marcado por calorosas palmas da militância petista, todos de pé. Lédio é cotado para uma vaga na chapa majoritária do Partido dos trabalhadores (Governo ou Senado).

 

FRASE

“O que se tem de novo é a disseminação fácil e rápida dessas informações, por meio das mídias sociais, com a possibilidade de milhões de usuários compartilharem inverdades que alteram significativamente o quadro eleitoral.” Desembargador Monteiro Rocha, durante solenidade em que transmitiu o cargo do presidente do TRE-SC ao colega Ricardo Roesler.