Notícias

Eliane Cantanhêde: cenário político é de absoluta indefinição

Jornalista da Globonews e Estadão defendeu governabilidade

Diante de quase mil empresários e dirigentes lojistas a experiente jornalista Eliane Cantanhêde (Globonews e O Estado de São Paulo) defendeu a estabilidade institucional, principalmente para viabilizar a aprovação das reformas trabalhista e da previdência no Congresso Nacional. “Qualquer solução deve respeitar a Constituição e um eventual impedimento de Michel Temer levará Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados à presidência”, defendeu, no segundo dia da 47ª Convenção Estadual do Comércio Lojista, em Florianópolis. “Uma eleição direta impõe a mudança da Constituição, processo lento e custoso”.

Para a jornalista, qualquer solução para a crise precisa respeitar a Constituição
Para a jornalista, qualquer solução para a crise precisa respeitar a Constituição

Com 40 anos de profissão e passagens por veículos como Jornal do Brasil, Folha de São Paulo e O Globo, Cantanhêde viveu ciclos marcantes da história política do país – como os últimos anos da ditadura militar, a eleição e a morte de Tancredo Neves, o impeachment de Collor, o Plano Real e a ascensão do PT. “O cenário está absolutamente indefinido, os políticos não têm ideia do que deve acontecer”, admitiu a jornalista. Entre as poucas certezas: “ninguém conseguiu ou conseguirá barra a Lava Jato, que ainda terá muitos desdobramentos”.

Eliane Cantanhêde considera como cenário mais apropriado, no atual contexto a manutenção de Michel Temer e a aprovação das reformas. “As boas notícias estavam começando a aparecer na economia quando nos deparamos com essa delação contra o presidente, que naturalmente, têm ampla repercussão e pode representar seu afastamento da presidência. Porém, essa alternância no poder, como já ocorreu em países como a Bolívia, Paraguai e Argentina, é muito prejudicial para o país”, avaliou.

João Dória e Marina Silva também mereceram objeções da analista: “João Dória foi um fenômeno eleitoral, mas não tem origem política como também não cumpriu sequer um ano de mandato à frente da prefeitura de São Paulo. E Marina não transmite segurança ao mercado, é uma incógnita em questões estratégicas de economia, por exemplo”. “Apesar desta turbulência institucional acredito que o Brasil será modelo para o mundo, a Lava Jato será um exemplo de depuração política”, concluiu.