Blog do Prisco
Coluna do dia

Arrecadação pode cair pela metade

Em entrevista ao SBT Meio Dia, o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, foi taxativo: ainda é cedo para precisar o número, mas a crise pode gerar prejuízos entre R$ 425 milhões a R$ 950 milhões mensais na arrecadação do estado. Santa Catarina recolhe, todos meses, cerca de R$ 2 bilhões em ICMS dos seus cidadãos. Significa que, no pior cenário, o rombo pode ser de praticamente metade da arrecadação de tempos normais. E na melhor das hipóteses, a queda representará 25% a menos de recursos vindos do ICMS. Uma conta sem precedentes na história recente. Detalhe: o recolhimento do ICMS representa 80% da arrecadação global do Estado.

 

Sem titubear, o homem que tem a chave do cofre catarinense também avisou que “com certeza” a folha de pagamento dos servidores será atingida. Em qual proporção, ainda não se sabe. Mas é bom que os funcionários públicos também preparem os bolsos e suas vidas para este período de dificuldade.

Já no setor privado, de acordo com professor José Eduardo Fiates, o cenário permite prever que haverá aumento no desemprego. Justamente no momento em que a economia começava a emitir sinais mais sólidos de recuperação.

Dilema

Paulo Eli resumiu bem a situação geral. O grande dilema, disse ele, o dilema mundial, é combater o Coronavirus e manter e economia funcionado. As medidas decretadas na terça-feira à noite foram iniciais, ressaltou ele. Novas determinações virão e “devem se agravar”, alertou o titular da Fazenda, frisando que a prioridade, neste momento, é a vida.

Revisão geral

Ainda de acordo com o secretário Paulo Eli, todas as situações financeiras envolvendo o estado serão revistas. Contratos, salários, custeio, pagamento de fornecedores e por aí vai. Aperto total nos cintos.

Guerra

Para o professor Fiates, diretor de Inovação e Competitividade da Fiesc, o cenário é de guerra. Ela ressaltou que numa guerra, há perdas econômicas e perda de vidas, exatamente o que está ocorrendo. A questão, frisou ele, é saber ainda como e quando venceremos a batalha. Fiates fez um comparativo entre Itália – o país mais negligente com o vírus até agora, e a Coreia, exemplo de prevenção e seriedade política e social neste caso. Na Itália, estima-se 8 mil mortes. Na Coreia, 320. Com as  medidas, duras mas apoiadas pela federação, do governo de Santa Catarina, talvez estejamos escolhendo ser uma Coreia. A coluna torce que seja esse o desfecho para os catarinenses.

Validade

O decreto do governo catarinense, estabelecendo situação de emergência no estado, tem validade de sete dias. Semana que vem devem ser anunciadas novas medidas e possivelmente mais restrições.

Missão

Coronel Araújo Gomes, comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina gravou um vídeo. Fala da crise e das funções da PM. Segundo ele, fiscalizar estabelecimentos comerciais e a circulação de pessoas, de acordo com o que rege o decreto de emergência do governo do Estado, é uma das maiores missões dos últimos tempos para a corporação.

Apoiado

O Deputado Federal Rodrigo Coelho está mobilizado com outros parlamentares contra o Covid-19 (coronavírus). Nesta semana, o catarinense e os Deputados protocolaram dois Projetos de Lei com medidas para enfrentar a pandemia.

Uma das propostas permite que os recursos do Fundo Partidário, usados

para bancar campanhas políticas, sejam destinados para políticas de enfrentamento ao Covid-19. “Esse Fundão reúne milhões de reais que com

certeza serão bem utilizados se o projeto for aprovado”, acrescenta Coelho.

Posts relacionados

PSDB liberado

Autor

No topo

leander

Kassab e o PSDB

Autor