Blog do Prisco
Coluna do dia

Articulação surreal

O presidente da Celesc e a maioria de seus diretores, sejam eles quem forem, são indicados pelo governador do Estado. Os nomes são submetidos ao Conselho de Administração da companhia, mas não chegam lá sem o aval do chefe do Executivo.

Muito bem. Daí vem a elétrica estadual e anuncia um aumento absurdo de 8% nas contas de energia elétrica, impactando a vida de absolutamente todos os catarinenses em plena pandemia com a economia ainda juntando os cacos em quase todas as frentes.

Definida a majoração, liderado por Thiago Silva, também nomeado pelo governador, o Procon estadual se posiciona contra o aumento no custo da energia. Na mesma toada, a Procuradoria Geral do Estado é acionada e o governador, que também escolheu o chefe da PGE (Alisson de Bem), se reúne com Silva e de Bem para “articular” uma ação judicial visando a barrar o novo custo da eletricidade em Santa Catarina.

Mas como assim? Não seria muito mais prático e óbvio Moisés da Silva chamar o presidente da Celesc e mandar que o aumento fosse engavetado? A Aneel, a pedido da própria elétrica estadual, autorizou a majoração. Mas a empresa não é obrigada a praticar novos preços.

Biruta de aeroporto

Mais um episódio que traz à luz do dia a total desarticulação e falta de comando na máquina estadual. Obviamente, diante da péssima repercussão da notícia do aumento nas contas de energia, o governador está querendo sinalizar que não concorda, buscando dar uma aliviada na sua barra junto à opinião pública.

Quem manda?

Daí ensaiam esse samba do crioulo-doido. Isso é absurdo, o chefe chamar subordinados para entrar com uma ação contra outro subordinado quando o próprio chefe tem o poder de barrar a ação daquele que supostamente está desagradando.

Tudo isso segue conspirando, no conjunto da obra, para o processo de impeachment de Moisés, Daniela Reinehr e Jorge Tasca.

Emprego

Segundo o Ministério do Trabalho, as empresas catarinenses abriram 10 mil novas vagas de emprego em julho. Isso reforça o que o deputado Milton Hobus tem dito: Santa Catarina tem um povo forte, trabalhador e que sabe vencer obstáculos com a crise que atravessamos.

Projeções

Embora o número seja positivo, é fundamental que se crie oportunidades para que os setores passem por esse momento difícil, principalmente o pequeno comércio. Aumentar impostos ou tarifas é inadmissível. É preciso criar um ambiente que gere emprego, renda e qualidade de vida para as pessoas. É o que defende o parlamentar, que está corretíssimo neste ponto.

No páreo

Atual líder do governo e ex-presidente da Câmara Municipal de São José por quatro oportunidades, Orvino Coelho de Ávila é pré-candidato a prefeito de São José. Até o final de setembro, a condição de candidato à prefeitura deve ser ratificada na convenção do PSD.

Currículo

Orvino Coelho de Ávila é natural de Urubici, mas vive em São José desde a década de 70, onde se elegeu vereador pela primeira vez em 1976. Durante quatro décadas, Orvino acumulou experiência no Legislativo, mas também ocupou funções no Executivo, como Procurador concursado do município, Secretário da Susp, Secretário da Receita e Procurador Geral de São José. Também foi Presidente do Ceasa, Coordenador Estadual de Abastecimento e advogado da Cidasc. Além de ter sido prefeito em exercício nos anos de 2015 e 2018.

Posts relacionados

Sob novo comando

Autor

Segunda edição

Autor

Economia e caneta

Autor