Blog do Prisco
Destaques

Balanço do cooperativismo de SC: cooperativas reúnem 3,9 milhões de catarinenses e faturam R$ 82,8 bi

Uma força social e econômica que se transformou em uma das locomotivas da economia catarinense, o cooperativismo reúne 3 milhões 909 mil catarinenses e obteve receitas totais, em 2022, da ordem de R$ 82 bilhões e 832 milhões de reais.
O crescimento foi de 21,7% o que representa mais de sete vezes a expansão do PIB (produto interno bruto) brasileiro no período (2,9%).
O levantamento é da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) junto às suas 250 associadas e foi anunciado hoje em Florianópolis pelo presidente Luiz Vicente Suzin e pelo superintendente Neivo Luiz Panho.
Um dos dados mais relevantes do levantamento é a expansão do número de associados (cooperados) que cresceu 12% no ano passado com o ingresso de mais 422.788 pessoas. No conjunto, as cooperativas reúnem, agora, 3,9 milhões de catarinenses (3.909.226 pessoas), o que representa que mais da metade da população barriga-verde está vinculada ao sistema cooperativista.
As que mais atraíram associados foram as cooperativas de crédito que têm atualmente 3 milhões de cooperados, as de infraestrutura que atuam em distribuição de energia elétrica (418.504 pessoas), as de consumo (343.569) e as agropecuárias (81.629). As cooperativas de saúde têm 13.710 associados e, as de transporte, 4.096 cooperados.
As cooperativas do agronegócio foram, novamente, as mais expressivas na geração de empregos diretos e de receita operacional bruta, respondendo por 65% dos postos de trabalho e por 68% das receitas globais do sistema.
As cooperativas de crédito consolidaram duas conquistas: o maior crescimento em receitas totais – 77,3% para R$ 15,4 bilhões – e o maior número de associados, com 3.046.420 catarinenses cooperados. Isso significa que 78% dos cooperados em Santa Catarina fazem parte das cooperativas financeiras.
A carga tributária não poupou as cooperativas. Em 2022 elas recolheram R$ 3,2 bilhões aos cofres públicos em impostos sobre a receita bruta, um crescimento de 26% em relação ao exercício anterior.
O patrimônio líquido, no conjunto das cooperativas, cresceu 18% e atingiu R$ 28,1 bilhões.
Para atender seus associados com ações e serviços de qualidade, as cooperativas mantêm quadros funcionais qualificados. Em 2022 contrataram 7% mais e criaram 5.697 novos postos de trabalho. Juntas, elas agora mantêm 88.466 empregados diretos.
         O presidente da OCESC prevê que continuará expressiva a participação das cooperativas nas exportações do agronegócio, que respondem por cerca de 30% do PIB catarinense e por 70% das vendas catarinenses no exterior, decorrente da imensa presença das cooperativas nas cadeias produtivas de grãos, da suinocultura e da avicultura.
DESEMPENHO POR RAMO DO COOPERATIVISMO
As 49 cooperativas agropecuárias reúnem 81.629 associados e 57.376 empregados. Tiveram receita operacional bruta de R$ 56,5 bilhões de reais, um crescimento de 15,7% em relação ao ano anterior. É o segmento mais intensivista em mão de obra; representa 65% dos empregados de cooperativas e 68% das receitas totais do sistema.
O ramo de crédito é formado por 65 cooperativas que somam mais de 3 milhões de associados. Oito em cada dez cooperados em território barriga-verde são associados de uma cooperativa de crédito. Tem 16.534 empregados diretos. A evolução das receitas totais deu um impressionante salto de 77,3% para R$ 15,4 bilhões de reais em 2022.
Fortemente demandado no período da pandemia, o ramo da saúde reúne 30 cooperativas de trabalho médico que mantêm 13.710 cooperados e 8.484 empregados. As receitas permaneceram estáveis em 2022, na casa dos R$ 5,9 bilhões de reais.
As 39 cooperativas do ramo de infraestrutura asseguram o fornecimento de energia elétrica em importantes áreas do território catarinense. Ocupam o segundo lugar em número de associados (418.504), empregam 2.181 pessoas e contabilizaram receitas de R$ 1,6 bilhão, praticamente o mesmo nível de 2021.
As 15 cooperativas do ramo de consumo são formadas por 343.569 associados e mantêm 3.231 empregos diretos. As receitas subiram 5,3% para R$ 1,4 bilhão de reais.
No ramo de transporte, as 41 cooperativas mantêm 4.096 associados e 615 empregados. O faturamento cresceu 27% em 2022 para R$ 1,7 bilhão de reais.
As 11 cooperativas de trabalho, produção de bens e serviços faturaram R$ 26 milhões de reais com 1.298 associados.
As sobras do exercício ficaram na casa dos R$ 3,7 bilhões, variação negativa de -18%. Os ramos com as maiores sobras foram o agropecuário (R$ 1,5 bilhão), crédito (R$ 1,7 bilhão), saúde (R$ 220 milhões), infraestrutura (R$ 138,6 milhões), consumo (R$ 68,7 milhões) e transporte (R$ 27,5 milhões).

Posts relacionados

Presidente da Assembleia faz balanço das atividades em Joinville

Redação

Governador Jorginho Mello entrega Balanço Geral de 2023 ao Tribunal de Contas do Estado

Redação

Balanço 2023: BRDE consolida recordes em contratações e reforça compromisso com o desenvolvimento sustentável

Redação