Blog do Prisco
Manchete

Bancada do PL unida: deputados serão candidatos a prefeito em Joinville, BC, Tubarão e Concórdia

A bancada estadual do PL, que tem 11 deputados, está fechadíssima em torno do tema eleições 2024 quando o assunto é a candidatura de seus pares em cidades estratégicas.

O grupo apoiará os projetos de Carlos Humberto, o favorito para suceder a Fabrício Oliveira em Balneário Camboriú; Sargento Lima em Joinville; Estêner Soratto, também favorito em Tubarão; e Edílson Massoco em Concórdia.

No balneário mais badalado do Sul do Brasil, o cenário é cristalino. O prefeito Fabrício, que se elegeu com Carlos Humberto de vice, quer dar um chega pra lá no deputado. Afastou-se dele politicamente e tem criticado publicamente o parlamentar.

O prefeito anda a dizer que Carlos Humberto, quando se candidatou à Alesc, teria se comprometido não disputar a prefeitura.

Algo que o parlamentar descarta prontamente.

Os dois têm trocado farpas pela internet e pela imprensa local.

O prefeito circula com o presidente da Câmara, David La Barrica, a tiracolo. Ele é filiado ao Patriota e é vereador de segundo mandato. Boa figura, mas não tem estofo e nem tamanho, evidentemente, para fazer frente a Carlos Humberto. Nesse caso, há mais uma ponderação a ser feita: quer dizer então que em Balneário Camboriú, vitrine nacional, o PL abriria mão da candidatura de um deputado que lidera as pesquisas para apoiar um vereador de um partido minúsculo? Ah sim, na janela de março La Barrica pode se transferir ao PL, mas soaria puro oportunismo.

Carlos Humberto já tem longo e consistente histórico de serviços prestados ao partido e ao conservadorismo.

O que se comenta nos bastidores é que Fabrício Oliveira tenta impor a candidatura de La Barrica para não deixar o deputado crescer, entregando novamente, em 2024, o comando a cidade à família Pavan. Para lá na frente tentar retornar em um terceiro mandato. É o velho e carcomido perfil político do “pinus elliottis”, que não deixa ninguém crescer em seu entorno.
A filha de Leonel Pavan, Juliana, também vereadora e de primeiro mandato, deve ser candidata pelo PSD.

Outro aspecto que precisa ser levado em consideração. Além do apoio da bancada ao nome de Carlos Humberto, avalia-se o futuro de Fabrício de Oliveira.

A partir de janeiro de 2025, ele estará desempregado e vai depender de Jorginho Mello para se manter na ribalta.

O governador, a seu turno, quer o maior número possível de prefeitos do PL eleitos no ano que vem para fortalecer seu projeto de reeleição em 2026.

Com um adendo importantíssimo. Em caso de vitória de Carlos Humberto, bem provável, o suplente Maurício Peixer assumiria definitivamente uma cadeira na Alesc.

Peixer é de Joinville, maior colégio eleitoral de Santa Catarina e, portanto, pra lá de estratégico para o governador.

foto>Bruno Collaço, ag. Alesc, arquivo

Posts relacionados

MDB confirma pré-candidatura de Carelli a prefeito

Redação

O futuro do Republicanos e os acordos com PL e PSD

Redação

Pré-campanha de Adriano Zimmermann e Dênis Lunelli está a todo vapor

Redação