Blog do Prisco
Manchete

Carlos Humberto candidato em BC; Fabrício no Modus Sperneandis

Tanto o Congresso quanto a Alesc aprovaram, esta semana, as peças orçamentárias da União e do Estado para 2024.
O que tradicionalmente ocorre, é bem verdade. Claro que aqui e ali poderíamos ter alguma modificação mais significativa, contrariando os governos, mas essas aprovações demonstram que, de alguma maneira, Lula da Silva e Jorginho Mello estão conseguindo lidar bem com as respectivas Casas Legislativas.
Como também é verídico que o atual inquilino do Planalto sofreu duas derrotas significativas neste fim de ano nas votações do Marco Temporal e da desoneração da folha de pagamento.
O balanço geral, contudo, é positivo. Mais positivo para o governador de Santa Catarina que também conseguiu aprovar, dentro da proposta encaminhada pelo Executivo, o escalonamento do desconto previdenciário de 14% dos aposentados da máquina estadual, o que também vale para os pensionistas.
Não foi simplesmente como desejavam alguns parlamentares oposicionistas, especialmente os quatro da bancada do PT, de corte total do desconto para todos os servidores inativos. Também, convenhamos.

Resultados

De modo que, no cômputo geral, as articulações, as tratativas, as negociações do governo nas últimas semanas foram proveitosas.

Digitais

Principalmente depois da entrada no circuito do deputado estadual Carlos Humberto. Muito jeitoso, muito habilidoso, ele conseguiu dar uma bela costurada na situação.

Sem volta

Aliás, o parlamentar já tem sua pré-candidatura à prefeitura de Balneário Camboriú, como nome do PL, sacramentada.
Isso ficou evidenciado na última segunda-feira à noite durante um grande ato de filiações do partido em Florianópolis que lotou a Assembleia Legislativa.

Tripé

O mestre de cerimônias do evento, o governador Jorginho Mello e o senador Jorge Seif anunciaram e trataram Carlos Humberto como o nome do partido no balneário mais famoso da América Latina.

Passando vergonha

Ou seja, isso tudo mais uma vez esvazia os movimentos erráticos, equivocados do prefeito Fabrício de Oliveira. Não é de hoje que o alcaide – conhecido por seus rompantes e megalomanias – vem trabalhando para inviabilizar a pré-candidatura de Carlos Humberto que antes de ser deputado era seu vice-prefeito.

Segue errando

Primeiro Fabrício articulou em favor do presidente da Câmara, David La Barrica; depois abandonou o parlamentar no meio do caminho e agora trouxe o ex-prefeito Rubens Spernau, figura histórica do tucanato local, para o PL em mais uma tentativa natimorta de emplacar um nome ligado a ele e historicamente ligado a Leonel Pavan – desafeto de Jorginho Mello – para a cabeça de chapa.

Modus Sperneandis

Fabrício vai ficar, literalmente, esperneando (sem trocadilho), falando sozinho. Sua situação é de absoluto desconforto perante as bancadas do partido, o governador e o senador.

DNA

Aliás, alguns liberais estão relembrando, refrescando cada vez mais a memória que originalmente a ligação de Fabrício era também com Pavan, a exemplo de Spernau.
Num determinado momento, os empresários da cidade ungiram o atual prefeito para dar um basta na era Pavan.

Roeu a corda?

Mas o prefeito nasceu para a política literalmente pelas mãos de Leonel Pavan. O ex-governador, aliás, será candidato a prefeito na vizinha Camboriú. Pelo PSD, hoje o principal opositor do PL de Jorginho Mello no âmbito estadual.

Sistemática

Os pessedistas fazem muito mais oposição ao atual governo do Estado do que os petistas. Até porque o PT tem seu teto tradicional. Se alguém, portanto, poderá se constituir num contraponto ao projeto de recondução de Jorginho Mello, esse alguém sairá das fileiras do PSD e não das do PT.

Vitrine

Devido à visibilidade e aos elevados índices de qualidade de vida que Balneário Camboriú alcançou, a cidade é estratégica para qualquer projeto estadual. E não será diferente com Jorginho Mello.

PS.: Fabrício e Rubens Spernau não apareceram no grande evento do PL, partido que dizem representar, mas com o qual não têm a mínima identificação. A cada dia que passa fica mais claro que o projeto é entregar a Pavan o comando das duas cidades: Camboriú e Balneário Camboriú. Será que terão êxito?