Blog do Prisco
Coluna do dia

Coluna do dia

Elizeu Mattos diz que há perseguição

A cada episódio da história de seu afastamento da prefeitura de Lages, Elizeu Mattos (PMDB) volta insistir na tecla de que existe uma ação orquestrada e maquiavélica contra ele. O encaminhamento de seu recurso, visando a retornar ao paço, para uma das Câmaras do Tribunal de Justiça prolonga a agonia do peemedebista e mantém a indefinição.

A interlocutores, ele novamente desabafou, salientando que não existe qualquer prova concreta contra ele em todo esse processo. Também disse que não dá pra entender como ele segue afastado, se ainda não foi julgado na esfera criminal. Segundo entendimento da defesa de Elizeu, a ação que deu entrada na área Civil do Judiciário é absolutamente a mesma.

Sem condenação ou julgamento, o prefeito afastado alimentava forte expectativa de retornar ao poder depois dos penosos seis meses longe das funções de mandatário.

Como o colegiado de desembargadores não tem data para avaliar o pedido de liminar que poderia significar a volta dele, o afastamento vai continuar por tempo indeterminado. Fato que, convenhamos, não é muito comum. Elizeu insiste que tudo é muito “estranho.” E que a sangria foi motivada pelo crescimento dele na política local, que lhe permitia projetar  uma reeleição sem maiores sobressaltos no ano que vem. Em 2012, o então deputado estadual derrotou o candidato do PSD à prefeitura e se preparava para buscar a reeleição.

 

 

Devassa

Elizeu Mattos tem dito que sua vida foi completamente devassada, que vasculharam tudo e não encontraram nada. Alega, ainda, que está sem dinheiro, que nem carro tem, “luxo” que só a mulher dele disporia neste momento complicado.

 

Popularidade

Ainda lamentando os mais recentes episódios que o mantêm longo do poder, Elizeu Mattos também vem afirmando que antes de ser afastado, surfava com 74% de aprovação popular, fato que teria incomodado sobremaneira “forças ocultas” que estariam por trás do afastamento dele da prefeitura.

 

Apoio

O prefeito afastado queixa-se também que o governo estaria parado depois de sua saída, e que não há mais obras. Diz que o empresariado o respalda e quer a volta dele à prefeitura.

 

 

Enviesado

Uma situação inusitada, para não dizer bizarra, que permeia o afastamento de Elizeu Mattos. Num contexto destes (seis meses de afastamento) qualquer prefeito já teria sido cassado pela Câmara. Se houve erro no passado, o processo poderia perfeitamente se reiniciar de maneira correta, oportunizando, ainda, ampla defesa a Elizeu. Do que jeito que está, ele não é condenado, não é cassado, segue sendo investigado e o vice torna-se um interino permanente debaixo de uma enorme incógnita. Quadro prejudicial à cidade e à população.

 

 

Contas de 2014

O TCE já emitiu o parecer prévio relativo à avaliação das contas do governo estadual no exercício de 2014. Com 13 ressalvas e 17 recomendações ao Executivo, o conselheiro Luiz Eduardo (Dado) Cherem manifestou-se pela aprovação da contabilidade governista. A diretoria de contas da corte e o Ministério Público junto ao TCE seguiram o mesmo diapasão. Os relatórios serão encaminhados à Assembleia Legislativa nesta segunda-feira, dia 1 de junho.

Posts relacionados

“Pré”-campanha a todo vapor

Autor

País de privilegiados

Autor

Moisés é aprovado e Dário um ilustre desconhecido em SC

Autor