Coluna do dia

Convalescendo, Casildo terá papel estratégico

O blogueiro conversou, esta semana, com o presidente de honra do MDB estadual, Casildo Maldaner. E se soma  a milhares de catarinenses que torcem pela pronta recuperação dele. O ex-governador está fazendo tratamento contra um câncer. Apesar da quimioterapia, ele não será submetido a procedimento cirúrgico. As perspectivas são boas no tocante à recuperação, mas neste início de campanha evidentemente que Maldaner não está com a mesma disposição e ritmo de outras eleições. Entre um compromisso e outro, ele terá que repousar, descansar e se cuidar.

Casildo Maldaner revelou a disposição de participar do processo eleitoral antes mesmo de ser escolhido como primeiro suplente de Paulo Bauer, que disputa a reeleição. Ele  só aceitou a suplência depois de inúmeros apelos. De Mauro Mariani, de Eduardo Moreira e, obviamente, do próprio Paulo Bauer. Acabou topando, mas não pretendia ver seu nome vinculado diretamente às eleições mais uma vez. Até pela sua condição de saúde. Diante da insistência de Bauer, Maldaner acabou cedendo.

 

Cruz na testa

É mais do que compreensível a investida do senador tucano. Ninguém representa tanto o MDB de Santa Catarina quanto Casildo Maldaner. Sua figura em relação ao partido é mais emblemática do que as histórias políticas de Luiz Henrique da Silveira e Paulo Afonso Vieira, também ex-governadores.

 

Fator Ivete

A insistência de Paulo Bauer também deveu-se ao fato de Ivete Appel da Silveira ter aceito a condição de primeira suplente de Jorginho Mello, o outro candidato ao Senado na chapa de Mauro Mariani.

Assim como Mello, Bauer precisa de um nome forte para amarrar a turma do Manda Brasa.

 

Replay

Aliás, foi uma engenharia semelhante que, em 2006, garantiu a eleição ao Senado de Raimundo Colombo. Logo ele que atacava Luiz Henrique, classificando as Secretarias Regionais de cabides de empregos. Com Maldaner de primeiro suplente, o lageano foi eleito senador por Santa Catarina com os votos do MDB.

 

Idas evindas

Algumas curiosidades nestas engenharias eleitorais para o pleito deste ano. Casildo Maldaner, que já foi primeiro suplente de Raimundo Colombo, desempenhando papel estratégico para a vitória do pessedista em 2006, agora tentará repetir a dose com Paulo Bauer. Que terá entre os concorrentes a uma das duas cadeiras na Câmara Alta o próprio Colombo. Bauer também concorre com Esperidião Amin. Os dois governaram juntos entre 1999 e 2002.

 

Sul

Como a região não emplacou nenhum nome titular das duas principais chapas lançadas ao governo de Santa Catarina, houve uma compensação nas suplências. O segundo suplente de Paulo Bauer é o vice-prefeito de Içara, Giassi Serafim, do MDB. Já Jorginho Mello também emplacou o segundo suplente sulista. É o ex-prefeito de Imbituba, Beto Martins, do PSDB, mesmo partido de Bauer e Napoleão Bernardes, o vice de Mauro Mariani. Aí mais um movimento claro para tentar amarrar votos para Jorginho entre os tucanos.

 

Ex-senador

No outro lado, Esperidião Amin tem o ex-senador Geraldo Althoff na suplência. Ele é de Tubarão.

 

Perfil vitoriso

Casildo Maldaner tem uma trajetória política e de vida impressionante e vitoriosa. De origem humilde, veio do Rio Grande do Sul para Modelo, no Oeste catarinense, onde se elegeu vereador ainda jovem. Foi deputado estadual, deputado federal, senador, vice-governador e governador. Certamente, agregará muito ao projeto do senador tucano.