Blog do Prisco
Manchete

Dança das cadeiras

O secretariado de Jorginho Mello sofreu alterações. Na virada do ano, houve algumas desincompatibilizações, enquanto outras permaneceram para as próximas semanas, como a dos deputados Ricardo Guidi, que cuida do Meio Ambiente e Economia Verde; e de Carmen Zanotto, titular da Saúde. Temos também Sargento Lima, deputado estadual, que deve concorrer em Joinville. Ricardo Guidi, em Criciúma, e Carmen Zanotto, em Lages, tiveram um bom desempenho à frente de suas pastas.
As mudanças já processadas e as que serão feitas nos próximos dias têm uma conotação essencialmente política, embora Jorginho Mello, assim como ocorreu com Bolsonaro em 2019, tenha adotado critérios não exclusivamente políticos, mas também técnicos, com figuras que conhecem as respectivas áreas.
O desempenho administrativo, por conta disso, já tem meio caminho andado para ser bem-sucedido.

Cirúrgico

Durante este ano essencialmente eleitoral, alguns ajustes pontuais serão feitos aqui ou ali, mas o resultado das urnas seguramente ensejará outras modificações e adequações no primeiro escalão, especialmente por ser um ano ímpar, quando não há eleições.

Par e ímpar

Assim foi no ano passado, 2023, após a eleição de 2022, e assim será em 2025, após a eleição municipal de 2024.

Retorno

Sargento Lima pode retornar para a Segurança Pública, caso não seja bem-sucedido na disputa no maior município do estado. Da mesma forma, Ricardo Guidi, nome forte em Criciúma; e Carmen Zanotto, que é muito favorita na capital serrana. Ela perdeu para Antônio Ceron por apenas 56 votos na reeleição dele.

Pule de 10

Carmen é considerada a candidata mais favorita entre os 15 maiores municípios e candidaturas, considerando-se os vários partidos. No entanto, claro, a eleição não está ganha por antecipação.

Novos ares

Também teremos casos de prefeitos que estarão completando seu período de gestão, já no segundo mandato, e que não podem buscar um terceiro. Estes poderiam ser aproveitados no secretariado ainda no final deste ano, se anteciparem a transição.

Mancha

Porém, como a renúncia nunca é muito bem recebida, poderiam ser empossados já nos primeiros dias de 2025, uma vez que a posse dos eleitos ocorre em primeiro de janeiro.

Destaques

Há dois nomes notáveis com este perfil: Mário Hildebrandt, prefeito reeleito com mais de 70% dos votos em Blumenau, hoje a grande liderança política do Vale do Itajaí. Indiscutivelmente teria assento assegurado no colegiado. Ele já se filiou ao PL de Jorginho Mello. E Fabrício de Oliveira, de Balneário Camboriú, também completando o segundo mandato, que seria uma alternativa para a pasta do Turismo.

Cenários

Diferentemente de Blumenau, onde Jorginho e Mário se acertaram perfeitamente na escolha do deputado Egídio Ferrari para concorrer à prefeitura com o apoio dos dois e do próprio Bolsonaro, o mesmo não se pode dizer de Balneário Camboriú.

 

Tiroteio

Lá, Fabrício resolveu vetar a candidatura natural do deputado Carlos Humberto. O desfecho da candidatura do PL em Balneário Camboriú deve ocorrer nos próximos dias, talvez até nas próximas horas, mas Fabrício queimou seguramente o filme.

Nome natural

A tendência é a confirmação da candidatura de Carlos Humberto à sucessão do atual prefeito, de quem o parlamentar foi vice.

Colher de chá

Ainda assim, se ele permanecer no PL, seria uma possibilidade no colegiado. Agora, se Fabrício Oliveira buscar outro partido, seguramente vai ficar aguardando um aceno de Brasília, do governo Lula da Silva.

Alinhamento

Para isso, Fabrício teria que se filiar a um partido que compõe o ministério do atual governo. E, claro, o máximo que receberia seria algum cargo federal em Santa Catarina.

foto>Secom, arquivo, divulgação

Posts relacionados

Em visita ao CRIO, Vaguinho recebe reconhecimento pela atuação em prol da inovação

Redação

Jorginho, o governo, o partido e a eleição na Alesc

Redação

Jorginho Mello se reúne com o presidente da Assembleia da República de Portugal

Redação