Blog do Prisco
Coluna do dia

De Chapecó para Joinville

O ex-deputado Gelson Merisio, que disputou o segundo turno contra Moisés da Silva na eleição do ano passado, decidiu mudar o domicílio eleitoral do Oeste para Joinville. Mudança que está no contexto da chegada dele ao PSDB.

Pelo partido, Merisio está inclinado a coordenar a campanha a prefeito do ex-senador Paulo Bauer que, até segundo ordem, é pré-candidato a comandar a maior cidade do estado.

Caso Bauer puxe o freio de arrumação lá adiante, o próprio Gelson Merisio pode assumir uma candidatura à sucessão de Udo Döhler.

Também em Joinville, as coisas caminham para uma candidatura do deputado federal Rodrigo Coelho pelo PSL de Moisés da Silva. Coelho já foi vice-prefeito no primeiro mandato de Udo. Filiado ao PSB, elegeu-se à Câmara Federal e acabou suspenso pelo partido por votar a favor da Reforma da Previdência. Agora ele busca sair da legenda pela via judicial sem colocar o mandato em risco.

Prévia

O destino do deputado federal deve ser então o PSL. Este cenário indica que pode ocorrer uma prévia do pleito estadual de 2022, com Gelson Merisio e Moisés da Silva medindo forças no maior colégio eleitoral de Santa Catarina já em 2020.

Parlamentares

Outros nomes: o deputado Fernando Krelling (MDB) é o candidato do atual prefeito. Pode, contudo, encontrar dificuldades se não conquistar o apoio do setor empresarial. Aliás, Paulo Bauer hoje parece ter mais condições de obter as bênçãos da poderosa Associação Comercial e Industrial de Joinville (Acij). O deputado federal Darci de Matos poderia concorrer pelo PSD. Neste momento, ele sinaliza estar com ânimos redobrados para seguir em Brasília, onde vem se destacando.

Com Bolsonaro

Também deputado estadual, Kennedy Nunes, deve filiar-se ao Aliança Pelo Brasil, partido que está sendo criado pela família Bolsonaro. Seria, também, uma alternativa. Gelson Merisio avalia que hoje teria o apoio de Kennedy. Mas se o deputado for pressionado pelo presidente da República no ano que vem, poderá colocar seu nome na praça. Até mesmo pensando em uma composição já que a eleição em Joinville tem dois turnos.

Barrado

O engenheiro Marcos Sabino, indicado pela Casa Civil, com o aval do governador do estado para assumir a presidência da Agência Reguladora de Santa Catarina (Aresc), esbarrou em vários questionamentos durante sabatina na Assembleia. Os deputados fizeram muitas perguntas, liderados, por assim dizer, por Marcos Vieira.

Interesses

Faltaram inúmeros documentos e ficaram no ar dois questionamentos fundamentais: se a idade de Sabino, 31 anos, está de acordo com a lei para que possa assumir o cargo; e se o fato de ele hoje atuar na SC Par não vai gerar conflito de interesses. A Aresc tem poder e competência para fiscalizar a própria SC Par.

Autoria

O deputado federal Hélio Costa parabenizou, em plenário,  o empresariado e o trabalhador catarinense por conta do crescimento do PIB de Santa Catarina e a consequente retomada do posto de sexta maior economia do país. O parlamentar enalteceu o compromisso do povo com o progresso estadual. O estado voltou a ultrapassar a Bahia, retornando à condição de sexta maior economia do país.

 

Posts relacionados

MDB em xeque

Shirlei Demetrio

PSDB oficializa Bauer ao governo

Autor

Merísio e PMDB mais próximos

Autor