Blog do Prisco
Destaques

Décio mira em Mariani

Candidato do PT ao governo de Santa Catarina, Décio Lima (PT) já deixou muito claro sua estratégia eleitoral neste início de campanha: tentar desgastar Mauro Mariani (MDB), colando-o ao presidente Michel Temer, correligionário de Mariani e o mais impopular da história.

O motivo é evidente. O perfil do eleitorado do MDB e do PT é muito parecido. É com Mariani que Décio irá disputar a sonhada vaga ao segundo turno. E não será uma parada fácil. O MDB é o maior partido do Estado, tem uma gigantesca capilaridade e musculatura de dar inveja. Está pulverizado pelos 295 municípios, tem mais de 100 prefeitos. Somando-se os alcaides do Manda Brasa com os do aliado PSDB, são mais de 150.

Os dois partidos juntos têm mais 1,3 mil vereadores, 15 deputados estaduais e sete federais. Além do governador do Estado e três senadores. Convenhamos, a batalha do petista é indigesta.

O pior

Na entrevista que concedeu ao colunista no SBT News de quarta-feira à noite, quando questionado sobre Lula da Silva e o PT, Décio atirou em Michel Temer, afirmando que o emedebista foi muito pior do que Dilma Rousseff.

DNA

Historicamente, o MDB sempre teve o apoio dos petistas no segundo turno, mas o advento do impeachment da ex-presidente colocou os dois partidos em trincheiras opostas.

PT e PSD

A estratégia de Décio interessa a Gelson Merisio (PSD), que também já está batendo em Mauro Mariani. O emedebista, a seu turno, vai rebater na linha de que estão tentando desestabilizar sua candidatura pela força da união de MDB e de PSDB. Mas Mariani não deve atacar o petista de frente, pois os votos do PT serão valiosos num eventual segundo turno.

O voto

Agora a turma do Manda Brasa pode ir se preparando. PT e PSD vão explorar o voto de Mauro Mariani, que é deputado federal, na primeira denúncia que o ex-Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, enviou à Câmara no ano passado e que atingia em cheio o presidente Michel Temer. Mariani, assim como a maioria do plenário, foi contra, evitando que a peça seguisse sua tramitação enquanto o emedebista estiver na cadeira mais estofada da República. Verdade que na segunda denúncia do mesmo Janot, o catarinense votou pela aceitação da denúncia. Ocorre que a primeira denúncia era a consistente e com potencial para enquadrar Temer. A segunda não passou de perfumaria!

foto>Assessoria Décio Lima, 2012