Blog do Prisco
Coluna do dia

Devem estar de brincadeira

O colunista está custando a acreditar que seja verdadeira essa história de troca de elogios entre os senadores Dário Berger e Esperidião Amin. Sem falar no fato de que estariam admitindo a possiblidade de caminharem juntos nas próximas eleições municipais  (ocorram elas ainda este ano ou em 2021); assim como também já se fala que Dário e a prefeita Adeliana Dal Pont poderiam subir no mesmo palanque em São José.

Vamos dar um refresco na memória diante do que está se colocando. No quarto maior colégio eleitoral do estado, São José, a atual prefeita derrotou Djalma Berger no pleito de 2012, quando ele buscava a reeleição. Ela encarnou o sentimento anti-Berger na cidade, que à época exercia o terceiro mandato familiar.

Voltando mais no tempo, vemos que Dário Berger, o líder do clã, saiu de São José para disputar a eleição em Florianópolis em 2004. E derrotou Chiquinho Assis, que era candidato da então Angela Amin, depois de oito anos como prefeita, aliás, muito bem avaliada.

Dário x Dão

Quatro anos depois, Dário bateu o próprio Esperidião Amin nas eleições de 2008 para prefeito da Capital. E agora começam com esse papo? Que conversa mole é essa?

Adversário agradece

Essas aproximações inimagináveis, se virarem realidade, farão a festa dos adversários de Amins e Bergers. Quadro que só favoreceria, por exemplo, uma candidatura do coronel Araújo Gomes na Capital. Ou mesmo outro nome apoiado por Moisés da Silva.

Memória

Consta que a população não esqueceu do histórico de ataques virulentos entre esses líderes, tanto em Florianópolis como em São José. Eles não eram apenas adversários, eram inimigos mortais.

Moisés acerta

Moisés da Silva começou bem seu período de governo em 2019. No decorrer dos meses, contudo, foi errando a mão sobretudo na articulação política e chegou ao final do ano desgastado e enfraquecido politicamente. Também pela desastrosa condução do assunto isenção de ICMS sobre os defensivos agrícolas. Agora, contudo, sua condução frente à crise do Coronavírus o colocou na ribalta novamente.

Musculatura

O governador ressurge com força neste momento crítico. Santa Catarina foi o primeiro estado a decretar o distanciamento social e largou na hora certa. Quando por aqui o mandatário anunciou a prorrogação das medidas por mais uma semana, a maioria dos estados, como São Paulo, estava começando o processo.

Antecipação

Significa que Santa Catarina vai sair antes de outros estados desse brete, o que pode se provar fundamental para minimizar os impactos no setor econômico. Sim, porque agora as autoridades catarinenses já falam na retomada gradual das atividades. Uma toada serena, objetiva, oportuna e bem planejada, adjetivos que podem guindar Moisés da Silva à condição de grande eleitor no pleito municipal que se aproxima.

Bens

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina, por decisão liminar do desesembargador Sérgio Baach Luz, da 3ª Câmara de Direito Público, determinou a liberação dos bens do prefeito Fabrício Oliveira, de Balneário Camboriú; e sustou o andamento do processo curso na Comarca, no qual o Ministério Público o acusa de improbidade administrativa, na contratação dos totens eletrônicos instalados na cidade.

Grife

O desembargador reconheceu que não houve prejuízo ao erário, a inexigibilidade de licitação foi legítima e o prefeito não agiu com dolo ou má-fé.

A decisão foi tomada a partir de recurso elaborado pelo ex-Procurador-Geral de Justiça, hoje advogado, José Galvani Alberton.

Posts relacionados

Novela brasileira

Autor

Sob nova direção

Autor

Barba, cabelo e bigode

Autor