Blog do Prisco
Destaques

Entidades empresariais protestam contra o cancelamento da Marejada deste ano.

Presidente da Associação Empresarial de Itajaí – ACII, Gabriela Kelm

A presidente da Associação Empresarial de Itajaí – ACII, Gabriela Kelm, manifesta seu pesar pelo cancelamento da 35ª edição da Marejada, anunciado na manhã desta segunda-feira, dia 17.

“A Marejada, que integra o calendário da festas de outubro em nosso Estado, é um dos eventos mais tradicionais de Itajaí. Além disso, movimenta diversos segmentos da economia, beneficiando a classe empresarial e diversas categorias profissionais, com a geração de muitos empregos temporários”, avalia Gabriela.
A presidente da Associação Empresarial ressalta a necessidade de união em prol da cidade. “Vivemos um momento complicado devido às questões que envolvem o nosso Porto. Nesse contexto, a não realização da Marejada é extremamente prejudicial para todos nós, tanto para o econômico quanto para a própria autoestima de nosso povo”.
Ela acrescenta que o Legislativo Municipal pode encontrar outras estratégias para investigar possíveis ilegalidades. “Os parlamentares poderiam, por exemplo, formar uma comissão para apurar os fatos e responsabilizar os envolvidos em irregularidades, caso estas sejam constatadas. Isso poderia ser feito sem inviabilizar a realização da Marejada neste ano”, sugere.
Gabriela acredita que ainda há tempo para que a situação seja revista. “Mesmo em período de recesso, nossos vereadores podem realizar uma sessão extraordinária e votar o pedido de urgência, para que a festa possa acontecer”, conclui. O Conselho de Entidades do Comércio acompanha o posicionamento da ACII.

 

Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itajaí, Mario da Silva

CDL de Itajaí Itajaí diz que cancelamento da Marejada pode impactar ainda mais a economia do município

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itajaí, Mario da Silva, o anúncio do cancelamento da Marejada pode impactar ainda mais nas questões econômicas de Itajaí. A festa que dura mais de 10 dias é um atrativo para a vinda de turistas e isso deve ser levado em conta, já que estamos amargando um momento triste do Porto da nossa cidade.

“Neste momento de instabilidade, devemos criar atrativos, possibilidades para fazer com que a economia gire e a Marejada é uma opção neste momento e que está consolidada no calendário das festas de outubro. Suspender não é a solução, o que precisa ser feito é apurar o que aconteceu neste processo entre Câmara e Poder executivo. Penalizar a população é uma saída equivocada e que pode deixar a situação ainda pior”, destaca Mario da Silva.

Acredito que a decisão deva ser revista, e quem sabe as entidades envolvidas com o comércio possam trabalhar junto com a organização da Marejada na criação de um movimento que possibilite criar uma interação maior entre a festa e o nosso comércio local.

Presidente do Sindilojas de Itajaí, Bento Ferrari

Presidente do Sindilojas de Itajaí, Bento Ferrari lamenta o cancelamento da Marejada deste ano

Bento Ferrari, presidente do Sindilojas de Itajaí e região, lamentou na manhã de hoje o cancelamento da Marejada deste ano, conforme divulgado pela Secretaria de Turismo.
“O município de Itajaí já está muito prejudicado e com notícias negativas por causa da paralisação do Porto. A Marejada, que é uma festa tradicional, junto com as outras que acontecem no mês de outubro em Santa Catarina, não pode ser prejudicada por brigas políticas.

Se há irregularidades na prestação de contas da Marejada do ano passado, como alegam os vereadores, que se crie uma comissão, que se investigue. Deixar de aprovar um orçamento para a realização da festa deste ano, não prejudica a figura do prefeito, mas sim a cidade como um todo”, disse Bento Ferrari.

O presidente do Sindilojas disse que há muitas maneiras do Legislativo investigar e checar o que aconteceu para que as contas do ano passado do evento não fossem apresentadas e responsabilizar os culpados, “mas, impedir a realização de uma festa que movimenta a economia, traz turistas para nossa cidade e gera empregos, não é o melhor caminho. Espero que essa situação possa ser revista e que a cidade de Itajaí possa realizar mais uma edição da festa”, finalizou.

Ronaldo Jansson Junior, presidente do Convention Bureau e Conselho Municipal de Turismo

Presidente do Convention & Visitors Bureau e Conselho Municipal de Turismo também lamenta o cancelamento da Marejada deste ano

Ronaldo Jansson Junior, presidente do Convention Bureau e Conselho Municipal de Turismo, também lamentou o cancelamento da Marejada deste ano, conforme matéria divulgada pela Secretaria de Turismo.
Ele diz que na semana passada, quando soube que poderia haver o cancelamento por causa de dúvidas que os vereadores tinham com relação à prestação de contas da edição passada, foi até a Secretaria de Turismo e pediu que as dúvidas fossem esclarecidas.
“Como somos um órgão fiscalizador, fizemos o meio de campo e levamos até à Câmara funcionários da Secretaria de Turismo que foram dirimir as dúvidas dos vereadores quanto ao regime de urgência do projeto e a prestação de contas. Essa foi a nossa parte nesta questão toda, mesmo porque nossa entidade é formada por empresários, que apenas querem fomentar o turismo na região e não nos envolvemos politicamente no assunto”.
Entretanto, Ronaldo disse que os dois órgãos que preside são a favor de uma negociação para que a Marejada deste ano aconteça. “Acho que tanto a cobrança da prestação de contas, como a autorização para realização da Marejada, poderiam caminhar paralelamente. Que os vereadores criem meios para fiscalizar as contas do ano passado, mas que aprovem a Marejada deste ano, pois ela fomenta o turismo, a economia, empregos e empresas”.

Fonte: Jornal dos Bairros

Posts relacionados

Presidente do BRDE apresenta ações para comissão

Redação

Univali e Unimed Litoral inauguram espaço de ensino no campus Itajaí

Redação

Presidente da Assembleia faz balanço das atividades em Joinville

Redação