Blog do Prisco
Notícias

FIESC ENTREGA UNIDADE DO SESI EM JOAÇABA

O SESI, entidade da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), amplia o atendimento ao trabalhador da região Centro-Oeste com a entrega de uma Unidade em Joaçaba. A estrutura, que possui mais de 3 mil m² e recebeu investimento de R$ 8 milhões, conta com áreas interativas, com tecnologias que abordam o tema saúde e segurança no trabalho, academia, salas de aula – incluindo Educação de Jovens e Adultos, Educação Continuada e Espaço de Educação Maker, auditório e estacionamento. Nas novas instações funciona também o IEL. A solenidade de entrega foi realizada no final da manhã desta sexta-feira (04) e reuniu a diretoria da Federação e suas entidades, trabalhadores, lideranças da região e parlamentares, como os deputados estadual, Natalino Lazare, e federal, Jorginho Mello.

Neste ano, o SESI em Joaçaba deve realizar 25 mil atendimentos em serviços de Saúde e Segurança e Promoção da Qualidade de Vida, e outros 10 mil atendimentos na Educação de Jovens e Adultos, Educação Continuada e Educação Maker. Além disso, deve entregar mensalmente 70 mil refeições e realizar 35 mil atendimentos por meio da sua rede de farmácias.

Fiesc Sesi 2
Neste ano, o SESI em Joaçaba deve realizar 25 mil atendimentos em serviços de Saúde e Segurança e Promoção da Qualidade de Vida

A missão da FIESC e do SESI é servir a indústria e a sociedade, disse o presidente da entidade, Glauco José Côrte, durante o ato de entrega das instalações. “Missão que realizamos ouvindo as demandas da indústria e dos seus trabalhadores”, destacou, lembrando que educação e saúde, são as duas linhas de serviços que são prestados na nova unidade do SESI. “Educacao é o novo nome do desenvolvimento e é igual a renda e melhora de condições de vida. São as pessoas que provomem o desenvolvimento. O que leva um país a crescer é o capital humano, que deve ser o destinatário dos nossos esforços”, disse, acrescentando que a unidade já está preparada para as transformações em curso no mundo do trabalho. As novas ocupações que estão surgindo exigem mudanças na educação oferecida, com soluções para atrair a atenção do jovem, como o Espaço Maker, do SESI, que estimula a aprender fazendo.

O presidente da FIESC também relacionou os investimentos na saúde do trabalhador com a competitividade das empresas, que levou à criação da Aliança Saúde Competitividade. “Os projetos do SESI contribuem com a produtividade e a redução de custos. O Brasil gasta o equivalente a 9% da folha de pagamento com acidentes de trabalho e as empresas que investem em prevenção gastam muito menos. Calcula-se que anualmente R$ 70 bilhões são despendidos com acientes e custos decorrentes de afastamentos e recuperação do trabalhador. Imagina se esse dinheiro fosse investido em hospitais, escolas, em projetos de prevenção”, disse Côrte. Ele conclamou as lideranças empresariais a assumirem o compromisso com essa questão e defendeu que ela esteja entre as preocupações estratégicas da cúpula das empresas. “O exemplo precisa vir de cima: do presidente, do principal dirigente”, propôs.

O vice-presidente regional Marcio Dala Lana disse que a nova unidade do SESI é uma conquista. “Conquista para a comunidade, para os colaboradores, para os municípios da região e, em especial, para Joaçaba, que nesse mês completa 100 anos de história”, disse. “Nessas dez décadas, o setor industrial foi um dos grandes propulsores da economia local, graças ao pioneirismo dos imigrantes”, completou, lembrando que os produtos da região são exportados, reconhecidos pela qualidade e geram retorno ao município.

Mais que o ambiente físico, as novas instalações são espaço de transformação e de melhoria da vida das pessoas, para buscar soluções para o desenvolvimento humano, defendeu o superintendente do SESI/SC, Fabrizio Machado Pereira. “A evolução tecnológica ocorre naturalmente, mas precisamos ter as pessoas no centro da agenda. Por isso, este espaço combina educação e saúde”, disse, lembrando, contudo, dos grandes desafios que a indústria e a sociedade têm pela frente, como aumentar a escolaridade dos trabalhadores: em Joaçaba 42% deles ainda não completaram o ensino básico. Como focos do SESI, Pereira destacou também as competências para o século 21, a redução de acidentes e adoecimentos provocados pelo trabalho, além do combate às doenças crônicas. “Temos que dar vida a este ambiente: frequentar, usar, para que o investimento seja completo e retorne em qualidade de vida dos trabalhadores e de suas famílias”, convidou.

Inovação na segurança do trabalho

No início a manhã desta sexta-feira Côrte participou da entrega de um “braço pantográfico ergonômico para esmerilhadeira” à empresa Hisa, do grupo WEG. A iniciativa faz parte de projeto de inovação, desenvolvido pelo SESI, que permite o uso de ferramentas pesadas de motores com maior precisão e segurança. O recurso, que objetiva diminuir doenças e acidentes de trabalho, reduz o peso do utensílio, diminui a vibração do equipamento e permite maior adaptação ergonômica da atividade. Além disso, gera uma série de dados que podem ser monitorados e gerenciados para garantir a segurança dos operadores.

Ação regional – Na quinta-feira (4), a agenda da direção das entidades da FIESC no Meio-Oese catariense incluiu visita às empresas Sopasta, fabricante de papeis e embalagens em Tangará, e vinícola Panceri, no mesmo muncípio. “Nos sentimos em casa aqui. Vemos que as pessoas estão em primeiro lugar”, disse Côrte, na Sopasta, após ouvir o coral de filhos dos trabalhadores, mantido pela empresa. “Investir nas crianças e no desenvolvimento dos profissionais: este é o modelo que precisamos ter no País. Os investimentos que fazemos são para melhorar a vida das pessoas. Este legado, que o senhor e sua equipe deixam, é o melhor que existe, porque mantém acesa a esperança no coração das crianças e dos jovens”, afirmou, dirigindo-se ao presidente da empresa, Nelson Harasawa. “Precisamos ter a esperança de que o País pode ser muito melhor do que é, se de fato olharmos para as crianças, os jovens e os trabalhadores do Brasil”, completou.

À noite Côrte participou do lançamento de novos produtos na vinícola Panceri, do industrial Celso Panceri, e ressaltou a evolução da produção e da qualidade do vinho de Santa Catarina, destacando os investimentos em tecnologia e agregação de valor por parte das empresas que buscam mercados competitivos e cada vez mais exigentes. Também destacou os esforços das entidades da FIESC pela competitividade da indústria em seus quatro eixos de atuação: ambiente institucional, educação, saúde e inovação.

Atuação do SESI em SC

Presente em 259 municípios, o SESI foca suas ações em saúde. A entidade promove ambientes de trabalho seguros na indústria e estimula a adoção de um estilo de vida saudável pelos industriários. Também contribui para a melhoria da escolaridade e o desenvolvimento de trabalhadores e lideranças para a indústria catarinense. Sua ampla estrutura de atendimento inclui 21 clínicas médicas, 75 farmácias, 90 unidades de alimentação, 50 unidades escolares (sendo 14 móveis) e 54 unidades móveis na área da saúde.

Fotos>Paulo Afonso, divulgação

Posts relacionados

Regimento interno da Alesc vai mudar

Autor

Setor de tecnologia quer mais apoio da prefeitura

Autor

Lamachia pede que Dias Toffoli dê atenção ao primeiro grau

Autor