Blog do Prisco
Coluna do dia

Final de Semana

A disputa pela prefeitura de Lages

A tendência de continuidade de Toni Duarte à frente da prefeitura de Lages vai tornando o prefeito em exercício como um nome natural para buscar a possível reeleição em 2016. Ontem, o desembargador Luiz Zanelatto, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, negou recurso pelo qual o prefeito afastado, Elizeu Mattos (PMDB) tentava assegurar seu retorno ao paço municipal já na semana que vem. O magistrado ratificou a decisão de primeira instância, que prorroga o afastamento do peemedebista por tempo indeterminado.

O advogado Nilton Macedo Machado vai recorrer novamente ao TJ e, se preciso, ao STJ, em Brasília.

Até então, o nome do PPS para a disputa municipal era o da deputada federal Carmen Zanotto, eleita em 2014 como titular da Câmara. Mas se Duarte realmente continuar no Executivo e se sair bem, com obras e ações administrativas de relevo, não faria sentido tirá-lo da corrida eleitoral. Seria queimar uma representante da região no Congresso e deixar o correligionário, em totais condições de buscar a recondução, sem mandato.

 

 

Histórico

Outro ponto a se considerar é o histórico eleitoral da cidade. Em 1988, Raimundo Colombo venceu a eleição na sucessão de Paulo Duarte, que ficou seis anos no cargo. Em 1992, o hoje governador, pensando em renovação, queria eleger o então vereador Fernando Coruja seu sucessor. Os dois militavam no extinto PFL. Mas naquele ano, o deputado federal Paulo Duarte se impôs e quis voltar à prefeitura. Largou com 70% da preferência do eleitorado. Coruja alistou-se no PDT e com o discurso do pobre contra o rico, assinalando, ainda, que a região precisava continuar tendo um representante em Brasília (o seu próprio adversário), conquistou uma grande virada e venceu o pleito.

 

 

Feitiço e feiticeiro

Já em 2008, Fernando Coruja experimentou da sua própria fórmula. Ele era deputado federal e disputou contra o então prefeito Renato Nunes de Oliveira (PP), o Renatinho, que havia assumido dois anos antes com a posse de Raimundo Colombo no Senado. A turma de Renatinho foi no mesmo diapasão, o de que a cidade e a região precisavam de Coruja na Câmara. O progressista se reelegeu e ficou mais quatro anos no comando.

 

 

A lista

Carmen Zanotto pode entrar nessa lista caso insista em se candidatar a prefeita em pleno mandato de deputada federal.  A conferir o desempenho do prefeito em exercício, fator que pode torna-lo naturalmente o comandante deste processo.

 

 

Partido do governador

Muito embora o ex-deputado Antônio Ceron, que será reeleito primeiro vice-presidente do PSD estadual nesta segunda-feira, manifeste o desejo de candidatar-se novamente à prefeitura de Lates, o candidato do PSD em 2016 deve ser o deputado estadual Gabriel Ribeiro. O jovem político é o nome do governador, que novamente pensa na renovação para vencer o embate.

 

 

Recorde elétrico

Pela primeira vez, desde o retorno à geração em 2004, a produção de energia da Eletrosul ultrapassou 1 gigawatt-hora (GWh). A marca histórica foi registrada na última quarta-feira, às 8h40, quando a geração dos empreendimentos em operação atingiu 1.025.672 MWh. Essa marca inédita foi alcançada devido à geração das hidrelétricas Jirau (RO) e Mauá (PR), que tiveram considerados os percentuais relativos à Eletrosul, além da contribuição das hidrelétricas Passo São João (RS) e São Domingos (MS), das PCHs Barra do Rio Chapéu e João Borges, em Santa Catarina, e das eólicas Cerro Chato, Geribatu e Chuí, no Rio Grande do Sul.

Posts relacionados

A gratidão de Colombo ao PMDB

Autor

A bizarra visita de Temer

Autor

O desafio de Bauer

Autor