Blog do Prisco
Coluna do dia

Futuro do MDB

Embora o governador Eduardo Pinho Moreira venha emitindo sinais de que quer voltar a ser presidente do MDB – a convenção estadual está marcada para o dia 7 de dezembro – ele terá dificuldades para reassumir o Manda Brasa catarinense, que já presidiu por 10 anos. Mauro Mariani, o atual dirigente, avisou que não renovará o mandato à frente da sigla.

Neste contexto, o nome natural para assumir o partido é o deputado federal eleito, Carlos Chiodini. Não só porque sempre foi o parlamentar estadual mais ligado ao próprio Mariani, como também pelo fato de ter dado um salto em sua votação, batendo em quase 100 mil sufrágios, agora como federal. Dentre os deputados federais do MDB, foi o mais votado. Rogério Peninha Mendonça e Celso Maldaner renovaram os mandatos, mas baixaram muito as votações.

 

Futuro

Chiodini representa o futuro do MDB em Santa Catarina. Eduardo Moreira, o passado. O governador parece ter perdido o senso de oportunidade ao alimentar a ideia de buscar outra vez a presidência estadual da legenda. Entre outras coisas, o sulista está pensando em passar dois ou três meses em Londres no começo de 2019.

 

Além-mar

Aí fica a pergunta: ele quer ser presidente do partido ou quer fazer uma imersão no exterior? Além disso, ele terá dificuldades porque não fez absolutamente nada para ajudar Mauro Mariani no pleito. Muito pelo contrário e será cobrado internamente por isso. Sem falar na fragorosa derrota que sofreu em Criciúma e na região Sul.

 

Derrota

Em Criciúma, cidade que Eduardo Moreira já administrou, Mariani ficou em terceiro lugar, muito distante de Carlos Moisés e Gelson Merísio, que polarizaram a disputa, com relativo equilíbrio. Literalmente, o emedebista está sendo mandado para casa. O mandato-tampão dele termina em 31 de dezembro e foi mandado embora no vácuo do resultado eleitoral muito fraco no Sul. Pinho Moreira ficou sem capital político. E enfraquecido partidariamente.

 

Vice

Outro ponto em desfavor de Eduardo Moreira. Desde 2002, ele disputou eleições apenas como candidato a vice-governador. Nunca na cabeça e também não ousou concorrer sequer a um cargo eletivo na proporcional.

 

Pijama

Perto dos 70 anos, o governador ficará sem mandato a partir de janeiro e não tem mais qualquer perspectiva eleitoral. Não faria o menor sentido ele novamente presidir a seção Barriga-Verde do Manda Brasa.

 

Vídeo

Prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, também gravou um vídeo nesta reta final de segundo turno eleitoral. A exemplo do que fez o deputado Milton Hóbus, o chapecoense pede voto para Jair Bolsonaro e Gelson Merisio em Santa Catarina.

Buligon diz que os dois são conhecidos e que estão, segundo ele, preparados para governar o Brasil e o Estado.  O prefeito faz um comparativo entre Bolsonaro e Merisio, que enfrenta o Comandante Moisés neste round decisivo do pleito.

 

Liderança

O oponente do pessedista é correligionário do presidenciável. Luciano Buligon também está sendo aproveitado nos programas eleitorais de Merisio, muito em função de sua grande liderança na região Oeste, ampliada no plano estadual depois do trágico episódio da Chapecoense.

 

Turismo

Na reta final de eventos do LIDE Santa Catarina neste ano, o grupo de líderes empresariais traz o Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, para uma palestra na sede da Federação das Indústrias (Fiesc), em Florianópolis. O encontro, exclusivo para filiados e convidados, ocorrerá na terça-feira, 23.

Posts relacionados

Mais um round

leander

A hora da verdade

Autor

Coluna do dia

Autor