Blog do Prisco
Manchete

Hipocrisia ilimitada

O deputado estadual Marcos Vieira, figurinha carimbada, manjada, muito conhecida nos meios políticos estaduais, anda indignado. O partido que ele preside no Estado, com seu típico carisma e empolgação, derrete a olhos vistos.

A mais recente baixa foi a do prefeito de Indaial, André Mozer, que bateu em retirada do ninho para filiar-se ao PL do governador Jorginho Mello.

Tudo com as bênçãos de Jair Bolsonaro.

Em entrevista a uma rádio no Sul do Estado, Vieira disparou: “O que está acontecendo é a compra e venda de filiações usando dinheiro da máquina pública.”

A acusação, grave, enseja dois apontamentos básicos. O primeiro é que certamente o deputado pode provar o que está dizendo. O segundo é a hipocrisia de Marcos Vieira.

Um dos partidos que mais tem cooptado lideranças no Estado é o PSD, mas quando alguém chega nesta linha auxiliar do PT, no Partido Social Democrático, daí é conquista, é trabalho, é projeto.

Além de dispor de três ministérios na gigantesca esplanada Sob Lula III, os dirigentes pessedistas gostam de se vangloriar pelo fato de administrarem o maior número de pessoas em Santa Catarina.

É uma referência ao número de prefeituras administradas, algumas bem importantes, como Florianópolis, Chapecó, São José e Tubarão, por filiados ao PSD.

Ou seja, a legenda tem estrutura, tem o que oferecer tanto nos municípios quanto no plano federal.

Mas certamente as adesões ao PSD se devem ao fato da genialidade e da conduta absolutamente proba de seus dirigentes. Que aliás, atuam frequentemente em sintonia e no mesmo diapasão que Marcos Vieira.

Mas voltemos ao PSDB. Dirigentes tucanos, na gestão passada, viviam a tiracolo do PIX do Moisés para atrair novos aliados. Por fim, imperioso lembrar, também, que Marcos Vieira passou quase duas décadas com um sem número de apaniguados na estrutura do governo do Estado. Desde Luiz Henrique até Moisés da Silva. Na gestão do Bombeiro comentava-se que o tucano tinha quase 100 indicações em cargos comissionados.

Trocando em miúdos. Marcos Vieira fala com conhecimento de causa sobre o assunto!

foto>Ag. Alesc, arquivo, divulgação