Blog do Prisco
Manchete

Jorginho e o fortalecimento da esquerda-SC

Enquanto deputados do PL reclamam de um certo desinteresse, digamos assim, do governador, outros partidos estão bem mais satisfeitos. Abre parêntese. Finalmente parece que vai ocorrer, essa semana, a tão aguardada reunião entre a bancada liberal e Jorginho Mello, encontro que vem sendo adiado há quase dois meses. Fecha parêntese.
As informações que se tem indicam que o Executivo vem tratando muito bem, obrigado, não apenas deputados do MDB – em número de seis, mas que vão virar sete com a chegada de Egídio Ferrari, de Blumenau -; como também a bancada do PT, com quatro deputados reeleitos: Luciane Carminatti, Neodi Saretta, Fabiano da Luz e Padre Pedro Baldissera.
Fabiano é o líder petista e acompanhou o governador na viagem ao Panamá. Os petistas, aliás, não teriam motivos para reclamar. Estariam sendo tratados a pão de ló pelo chefe do Executivo.
A estratégia é cristalina e busca fortalecer, de alguma maneira, os parlamentares na Alesc para que votem em projetos do interesse do governo que acaba de enviar ao Legislativo um pacotaço de matérias estratégicas para o Centro Administrativo.

Adversário ideal

Em outro viés, a leitura é a seguinte: nada mais interessante para o atual governador do que contar novamente com o PT em eventual segundo turno no pleito de 2026.

Perfil

Santa Catarina é essencialmente conservadora e bolsonarista. Sem dúvidas, Jorginho Mello considera esta a alternativa ideal para uma reeleição sem grandes sobressaltos.
Ainda mais em um momento que o PSD se movimenta e vai se fortalecendo, filiando prefeitos e na expectativa de atrair mais deputados. Paulinha da Silva, por exemplo, só não assinou ainda porque correria o risco de perder o mandato para a sigla pela qual foi eleita, o Podemos.

Alternativa

O PSD almeja se constituir num contraponto da centro-direita (pelo menos no papel) lá em 2026.
Jorginho, percebendo a movimentação, aposta no fortalecimento do PT e da esquerda.
Com o objetivo de que a canhotada possa suplantar a frente que vai se formando com PSD, Novo, Republicanos e União Brasil em Santa Catarina.

Quintal

Ocorre que o governador também precisa cuidar bem do seu PL. E não é o que vem acontecendo. Há muita insatisfação na bancada de 11 liberais. Sobretudo dos quatro que vão concorrer a prefeito em cidades estratégicas: Estêner Soratto (Tubarão), Carlos Humberto (Balneário Camboriú), Sargento Lima (Joinville) e Edilson Massoco (Concórdia).

Chances reais

Soratto e Carlos Humberto são favoritos em suas cidades. O segundo tem que enfrentar, no entanto, a oposição do prefeito que se filiou ao PL no apagar das luzes da campanha eleitoral de 2022.

Conservador

Carlos Humberto é um empresário bem-sucedido, e tem tudo para chegar à prefeitura do balneário mais badalado do Sul. Mas precisa que o governador coloque as coisas, e o prefeito, em seus devidos lugares, sob pena de Jorginho ter que engolir a volta da família Pavan, filiada agora ao PSD, ao comando da cidade.

Embate

Já Estêner Soratto deve enfrentar o ex-governador Moisés no Sul, ou seja, também necessita de suporte, de respaldo para suplantar um adversário, com condições de vencer a eleição.

Oeste

Massoco também é um nome forte em Concórdia. É o líder do governo. Cedeu um mês para o colega Ivan Naatz. Encontra-se na mesma situação de Soratto, carecendo de atenção e de apoio do líder maior do PL catarinense.

Atuação

Quanto a Sargento Lima é uma alternativa que corre por fora em Joinville, mas é um excelente deputado, assertivo e um homem de bem. Na pior das hipóteses, entra na fila para disputas futuras na maior cidade do estado.

Dois pesos

Se emedebistas e petistas estão vendo suas emendas e pedidos sendo liberados e atendidos, os liberais não estão entendendo o tratamento que recebem. A começar pelas emendas parlamentares. Evidentemente prefeitos eleitos pelo PL no próximo ano e com apoio de Jorginho darão a devida contrapartida em 2026, respaldando o projeto do governador. Agora o chefe do Executivo precisa cair na real.

Amigos, amigos

Se ele não ajuda seus correligionários e amigos, vai fortalecer quem? Os adversários? A conferir se realmente essa semana os 11 deputados do PL serão recebidos por Jorginho Mello e se começarão a acontecer encaminhamentos objetivos da parte do governador na direção da bancada. Tanto sob o aspecto político-eleitoral quanto sob o viés da liberação de recursos.

foto> Da E para a D: Fabiano da Luz, Padre Pedro, Luciane Carminetti e Neodi Saretta – divulgação

Posts relacionados

Chapa do MDB em Jaraguá do Sul contará com apoio dos quatro deputados eleitos da cidade

Redação

Energia Boa: Governo e Celesc projetam R$ 3 bilhões em investimentos para a geração de energias renováveis em SC

Redação

Soratto cobra investigação sobre obras na Ponte de Jabuticabeira

Redação