Blog do Prisco
Manchete

Jorginho reforça pedido de recursos federais para dragagem de rios e reconstrução das cidades em SC

Ao lado do governador Jorginho Mello, uma comitiva do Governo Federal sobrevoou cidades atingidas pelas fortes chuvas em Santa Catarina nesta quarta-feira, 11. A vistoria foi nas cidades mais afetadas pelos temporais no Vale do Itajaí. O objetivo da ação é assegurar auxílio financeiro para a reconstrução dos municípios afetados e também reabilitação das cidades.

“Uma das nossas prioridades é investir em dragagens e temos pressa”, frisou o governador Jorginho Mello para os representantes da União. A dragagem consiste na limpeza, desassoreamento, alargamento, desobstrução, remoção, derrocamento ou escavação de material do fundo de rios, um processo que evita a ocorrência de enchentes.

O ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, destacou a a sinergia entre as defesas civis nacional, estaduais e municipais. “É fundamental para minimizarmos os danos causados pelos desastres naturais. Começamos a fazer reuniões antes mesmo de as chuvas acontecerem. Assim como o Governo Estadual existe um monitoramento feito por uma sala de situação do Governo Federal que emite alertas e relatórios diariamente”, ressaltou o ministro.

Um dos compromissos do roteiro foi a assinatura do termo de adesão do Estado ao Pacto pela Governança da Água, que busca fortalecer a relação institucional entre a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), e os Estados, por meio da cooperação para o aprimoramento da gestão dos recursos hídricos, da regulação dos serviços de saneamento e da implementação da política de segurança das barragens.

O acordo foi assinado pelo governador do Estado, Jorginho Mello, por meio da secretaria de Estado do Meio do Ambiente e Economia Verde, o ministro da Integração e Desenvolvimento, Waldez Góes e o diretor-presidente de Águas e Saneamento Básico, Maurício Abijaodi Lopes de Vasconcellos.

Foto: Ricardo Trida / Secom

Do governo estadual, estiveram presentes no ato o secretário de Proteção e Defesa Civil, coronel Armando Schroeder, o comandante-geral do CBMSC, Fabiano de Souza, a secretária de Assistência Social, Mulher e Família, Maria Helena Zimmerman e a secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto.

Além do ministro da Integração, Waldez Góes, participaram da comitiva Federal, a ministra do Meio Ambiente e Mudança Climática, Marina Silva, o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff, o secretário nacional de Fundos e Instrumentos Financeiros, Eduardo Tavares, o presidente do SEBRAE Nacional, Décio Nery de Lima, o diretor do Departamento de Emergências em Saúde Pública, Márcio Henrique de Oliveira Garcia, a senadora Ivete da Silveira e deputados da bancada federal.

Eles desembarcaram por volta das 8h30 no aeroporto de Navegantes e sobrevoaram a região do Vale do Itajaí. Depois, por terra, percorreram algumas localidades, de Blumenau, atingidas pelas chuvas.

Visita dos ministros à Defesa Civil de Blumenau

No fim da manhã, o prefeito, Mário Hildebrandt, recebeu os representantes da União e do Estado na prefeitura, onde participaram de uma reunião com a Defesa Civil regional. De acordo com a Defesa Civil do município, no fim da manhã o rio Itajaí-Açu estava em 6 metros 47cm. Por conta disso, ainda se mantém o estado de alerta, porque o rio está cerca de 6 metros acima do nível normal. Mas segundo a diretora de Meteorologia, Tatiana Martins, neste momento, não há pontos de alagamento em Blumenau.

“A configuração de enchente é quando o nível do rio fica acima de 8 metros. Desde a tarde de ontem ele vem baixando com uma taxa de 4cm a 6cm por hora. Mas o nosso monitoramento segue intenso devido à previsão de chuvas persistentes e volumosas a partir da noite de hoje”, disse a diretora da Meteorologia. Ainda de acordo com a Defesa Civil, a cidade mantém um abrigo no bairro Itoupava Norte onde estão quatro famílias.

Previsão do tempo

A noite desta terça-feira (10) foi de tempo firme na maior parte de Santa Catarina. No Grande Oeste o céu claro predomina, enquanto no centro-leste há maior nebulosidade (tons brancos na figura) e garoas esparsas, sem registro significativo de acumulados. No momento, as temperaturas oscilam entre 20 e 24°C no litoral, Oeste e Extremo Oeste e entre 10 e 16°C nas demais regiões. O vento médio sopra de norte/nordeste com fraca a moderada intensidade e rajadas entre 50 e 70 km/h na Serra e Litoral Sul.

A tendência é que esta condição se mantenha ao longo da madrugada, mas apesar do tempo firme, o risco para deslizamentos continua alto a muito alto do Meio-Oeste ao litoral, devido aos elevados volumes de chuva registrados nos últimos dias. No Oeste e Extremos Oeste o risco de deslizamentos é moderado.

Situação no Estado

No fim da manhã a Defesa Civil, a partir dos dados das coordenadorias regionais, atualizou a situação pelo Estado. De acordo com o último relatório, emitido nesta manhã pela Defesa Civil do Estado, não houve alteração nas ocorrências, sendo que permanecem em 136 os municípios que registraram ocorrências em virtude das chuvas registradas desde o dia 04. São contabilizados registros de chuvas intensas, alagamentos, deslizamentos e granizo que atingiram residências, estradas e centros urbanos em diversas regiões.

O Governo do Estado, já distribuiu 51.637 itens de assistência humanitária. A Secretaria Assistência Social, Mulher e Família (SAS) catarinense contabiliza 172 abrigos no Estado, distribuídos em 70 cidades.

Equipes municipais com o apoio do Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar, Assistência Social e demais estruturas do Governo do Estado além de contar com o apoio de estruturas federais como a Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Polícia Rodoviária Federal prestam atendimentos aos afetados.

Alerta

O governo de Santa Catarina tem alertado a população sobre risco de possíveis deslizamentos, pois o solo ainda permanece encharcado, e a previsão é de mais chuvas fortes no Estado a partir desta quarta-feira. Se necessário, o cidadão deve acionar a Defesa Civil, pelo telefone 199; ou Corpo de Bombeiros Militar, pelo 193.

Foto: Ricardo Trida / Secom

Posts relacionados

PIB de Santa Catarina deve crescer 2,4% e superar a média do Sul e do país e em 2024, estima Santander

Redação

Férias Escolares: Autorização de Viagem para menores cresce 50% e atinge recorde em Santa Catarina

Redação

Indústria catarinense cresce 6,4% no ano até maio

Redação