Blog do Prisco
Destaques

Luci Choinacki: fome, terra, mulher e política

Produção de documentário busca material de arquivo 

sobre a agricultora e ex-deputada

 

“Luci e a Terra” é um documentário sobre Luci Teresinha Choinacki e sua relação política com a vida, com as mulheres, com as plantas e com a terra. Depois de quatro mandatos como deputada estadual e federal pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Luci Choinacki voltou para a agricultura. Em 2016, junto com seu companheiro, Helton Rubens Castro da Silva, iniciou uma horta urbana em Florianópolis, onde eles comercializaram produtos agroecológicos até o início de 2021. A  pandemia motivou a mudança de cidade. Agora, no Planalto Catarinense, eles cultivam alimentos para consumo próprio, em um sítio arrendado, e alimentam o sonho de um dia ter um pedaço de terra.

 A produção do curta-metragem, realizado pela Contraponto e dirigido por Kátia Klock, busca material iconográfico sobre a passagem de Luci Choinacki por diferentes lutas sociais e políticas. Ela foi atuante nos anos 1980 com a Pastoral da Terra, no oeste de Santa Catarina, participou do início do Movimento de Mulheres Agricultoras (hoje MMC), foi a primeira mulher agricultora a ser eleita deputada estadual (1987-90), e em seguida deputada federal em três mandatos entre 1991 e 2015.

 “Luci e a Terra” transcende a rotina da trabalhadora rural que foi deputada, e a menina que nasceu em uma família com a necessidade básica de plantar para ter o que comer. Luci tem um pouco de cada mulher que vive no meio rural. A proposta documental é aproximar o olhar do público para a vida e o trabalho das mulheres no campo, a relação delas com o meio ambiente, os conflitos, as perdas, os ganhos, e como essa profissão que alimenta tantas vidas é uma forma política de existir.

 O documentário “Luci e a Terra” foi contemplado em 2020 com o Prêmio Catarinense de Cinema, através da Fundação Catarinense de Cultura e Governo do Estado de Santa Catarina. Em função da pandemia, a produção foi retomada no final de 2021.