Coluna do dia

Lula fez apelo ao PT por chapa forte em SC

Quando da passagem do ex-presidente Lula da Silva e sua caravana por Santa Catarina, em março, o petista fez um apelo veemente a algumas lideranças do partido no sentido de montar uma chapa majoritária forte no Estado. Um pedido especial foi direcionado ao deputado federal Pedro Uczai. Lula quer que ele concorra ao Senado.

O PT catarinense vinha trabalhando com dois nomes para governo e Senado. O do presidente estadual e deputado federal Décio Lima e o do desembargador aposentado Lédio Rosa de Andrade, que deixou o Tribunal de Justiça no final do ano passado e filiou-se ao PT.

Lédio, que voltou a atuar como advogado, está avaliando o cenário. Tem sido muito estimulado a disputar o Senado, mas ainda não descartou encabeçar uma chapa. Ele e o próprio Décio têm conversado sobre as melhores alternativas. O causídico está na estrada, conversando e angariando apoios. Esteve recentemente em Imbituba, a maior cidade catarinense administrada pelo PT e também em Tubarão, terra natal do ex-magistrado. Está animado. É nome certo nas eleições deste ano.

Puro sangue

Os petistas trabalham realisticamente com a possibilidade de construir uma chapa pura, assim como já ocorreu com Cláudio Vignatti em 2014, quando ele foi candidato a governador. Vale lembrar que o PCdoB já está praticamente fechado com o PSD de Gelson Merisio em Santa Catarina.

Espaços

É aí que entraria o nome de Pedro Uczai ao Senado, abrindo espaço para que o próprio Vignatti e o deputado estadual Dirceu Dresch concorram a deputado federal no espaço de Uczai. Na mesma perspectiva do que ocorre com a deputada estadual Ana Paula Lima, que tem tudo para ser candidata a deputada federal no espaço do marido.

Ideli de volta

Nesta construção também surge o nome de uma mulher. A ex-senadora Ideli Salvatti, se o PT for de chapa pura, deve ser a candidata a vice-governadora. Seja com Lédio Rosa de Andrade na cabeça ou com Décio Lima encabeçando a chapa petista em Santa Catarina.

Zonta assume

O deputado federal Jorge Boeira (PP) se licenciou da Câmara por quatro meses, contados a partir desta sexta-feira, 20.

Quem assume em seu lugar é o primeiro suplente da coligação, Odacir Zonta (PSB). O progressista é candidato à reeleição, mas o pessebista não disputará o pleito deste ano. Os dois partidos, PP e PSB, estão juntos no mesmo projeto em 2018, ao lado do PSD.

Sintonia

Antes de tomar  a decisão, Boeira conversou com o prefeito de Tubarão e seu correligionário, Joares Ponticelli. Os dois, registre-se, estão sempre muito alinhados. Em 2014, em princípio o candidato a vice na chapa de Paulo Bauer (PSDB) seria o próprio Boeira. No final das contas, Ponticelli assumiu a condição de vice depois de ter sua candidatura ao Senado vetada pelo MDB e Luis Henrique da Silveira. Eles indicaram Dário Berger na chapa de Raimundo Colombo, que se sagrou vencedora.

Perfil

Jorge Boeira tem pedido licença do Parlamento em todas as eleições. É conhecido e reconhecido pelos dados disponíveis no Portal da Transparência como o deputado mais econômico entre os 513 federais. Empresário bem sucedido, ele é um homem de princípios. Não usa, por exemplo, celular corporativo da Câmara e anda de táxi, dispensando veículo, motorista e combustível oficiais.