Blog do Prisco
Coluna do dia

MDB na cabeça

O MDB vai ter candidato a governador em 2022. Todas as movimentações já indicam inclusive quem deve ser o cabeça de chapa: Antídio Lunelli, prefeito de Jaraguá do sul. Ele está entre os dois prefeitos mais ricos entre os eleitos no Brasil em 2016. Tem fortuna estimada em quase R$ 300 milhões. Evidentemente que Lunelli precisa conquistar a reeleição à prefeitura de Jaraguá para, naturalmente, alcançar a unção do Manda Brasa. Clara aposta na solução empresarial, que devolveu o MDB ao comando de Joinville, com Udo Döhler, lá em 2012 e, quatro anos depois o movimento ocorreu em Jaraguá personificado no atual mandatário. As duas cidades são altamente industrializadas e desenvolvidas.

Döhler acabou preterido no processo que levou à escolha de Mauro Mariani a ser o candidato do MDB ao governo no ano passado. Os emedebistas  sinalizam que não estão dispostos a perderem uma segunda oportunidade de conduzirem seu projeto estadual sob a liderança de um grande e bem sucedido empresário.

Passado não volta

Outro fator neste cenário. Não há mais ninguém no MDB em condições de liderar o processo eleitoral. Eduardo Pinho Moreira morreu. Politicamente. Luiz Henrique da Silveira também. Literalmente. Dário Berger nunca representou e nem vai representar a legenda. Mauro Mariani sofreu uma grande e recente derrota. Pode até voltar ao jogo ali adiante, mas não será novamente encabeçando chapa em pleito estadual logo de cara. Soma, subtrai, divide, multiplica-se e tudo deságua em Antídio Lunelli quando o assunto é o futuro do MDB.

Döhler no jogo?

Outro empresário que poderia se constituir numa opção ao governo seria o prefeito Udo Döhler, mas para isso precisa fazer o sucessor, o deputado estadual Fernando Krelling. Contra Udo, a idade já avançada, mas mesmo assim ainda é uma alternativa.

Tucanando

Ainda olhando as movimentações que têm 2022 como pano de fundo, vemos que Gelson Merisio adianta suas conversas com o PSDB. No plano nacional, o ex-deputado tem interagido com o governador paulista e presidenciável, João Doria.

Quarteto

No quintal de casa, a interlocução de Merisio junto ao ninho é muito forte. Ocorre com o ex-senador Dalírio Beber, os deputados Vicente Caropreso (estadual) e Geovania de Sá (federal) e o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro. Assim como o MDB, o PSDB também não tem nome de estatura para candidatura ao governo depois do desembarque de Napoleão Bernardes. Merisio pode ocupar esse espaço.

Nome novo

Advogado Paulo Sérgio Alves Madeira, que foi Procurador-Geral da Assembleia (Alesc) e teve passagem pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE); e Secretaria Municipal de Finanças de Garopaba, está assumindo a chefia de gabinete da bancada do PSL no Parlamento estadual.

Aceitou a missão após convite formulado pelos quatro parlamentares pesselistas que se uniram para mudar a liderança do partido na Alesc, agora sob a responsabilidade do Sargento Lima. Seu nome também está sendo ventilado para disputar a prefeitura da cidade.

Segunda instância

O deputado federal Celso Maldaner participou  de uma audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça – CCJ que debateu a tramitação da PEC 410/18 que prevê a prisão do réu condenado em segunda instância.

Em sua contribuição, Maldaner ressaltou a importância de acabar com distorções jurídicas e cumprir o que diz a Constituição: “todos são iguais perante a justiça”. Para ele, o primeiro passo seria acabar com o foro privilegiado, privilégio concedido a autoridades, mas também declarou o seu voto a favor da PEC 410.

Posts relacionados

Meio-campo

Autor

Paraná faz pesquisa em SC

Autor

Comin pede o boné

Autor