Blog do Prisco
Coluna do dia

Modus operandi

Tem chamado a atenção a movimentação, atípica e precipitada, do senador Jorginho Mello como pré-candidato ao governo do estado em 2022. Presidente estadual do PL, ele está há pouco mais de um ano no mandato de senador e seu partido vai abrigar as viúvas de Jair Bolsonaro em Santa Catarina. Sobretudo porque o Aliança, partido da família presidencial, não estará pronto em tempo hábil de participar do pleito municipal deste ano.
Nesse vácuo, Mello tem se comportado como uma espécie de Porta-voz do presidente em Santa Catarina. Tudo bem que quem se distanciou de Bolsonaro foi Moisés da Silva e não o contrário.
Mesmo assim, tudo é muito precoce. E açodado, evidenciando o modus operandi do senador no comando do PL. Em Criciúma, já foi dado o grande exemplo. Ali, o senador atropelou todo o seu time e anunciou que a advogada Júlia Zanatta será a candidata a prefeita.
Decisão que atropela o presidente municipal do partido, ex-prefeito Márcio Búrigo; o advogado Jeferson Monteiro, que saiu do MDB para ser o candidato da legenda; e também o jornalista Nicola Martins, que foi o ponta-de-lança do senador no começo do projeto partidário, vários anos atrás. Atuando no colegiado de Clésio Salvaro, Martins projetava uma candidatura a vereador, mas já pulou fora assim como o próprio Monteiro. Caminho de saída que deve ser seguido por um bocado de gente depois desse “choque de gestão”.

Credenciais
Tudo porque a advogada é ligada à família Bolsonaro e esse foi o critério para a definição. Toda a construção feita anteriormente não teve qualquer valor na hora da verdade. É de cima para baixo, de goela-abaixo que as coisas vão sendo implementadas neste ano eleitoral no PL de Jorginho Mello.

Agressividade
São movimento agressivos, no melhor estilo rolo compressor, de Jorginho Mello, que atua freneticamente para ser o candidato de Jair Bolsonaro na próxima disputa estadual. Não se vê esse ímpeto em Moisés da Silva, no outro senador, Esperidião Amin, nem em Gelson Merisio, que foi para o segundo turno em 2018. Isso só pra citar os nomes mais evidentes no contexto atual.

Dois gumes
Toda essa sede de Jorginho pode dar certo, como também pode se voltar contra ele ali adiante. São jogadas de altíssimo risco que o senador resolveu bancar. A conferir!

Previdência
O deputado estadual Mauricio Eskudlark (PL), relator da Proposta de Emenda a Constituição (PEC) que altera o sistema de previdência social do Estado, apresentou parecer favorável a admissibilidade da proposta, em reunião da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa.
Eskudlark explica que a decisão não tem ligação com o mérito da proposta, e sim com o procedimento legal. O plenário da Casa também já admitiu a PEC que promete tramitar rapidamente e gerar muita celeuma.

Sem imposto
A deputada federal Carmen Zanotto (Cidadania-SC) disse que qualquer tentativa de parte da equipe econômica para recriar um novo imposto será derrubada pelo Congresso Nacional. Para a parlamentar, as alterações no sistema tributário que estão sendo debatidas pelo Congresso Nacional são necessárias para o país, mas a criação de um novo imposto aos moldes da extinta CPMF sofre resistência dos congressistas e da população.

Posts relacionados

A ponte de Colombo

Autor

Glauco na CNI

Autor

Alba e Moisés

leander