Blog do Prisco
Coluna do dia

O dia 7 da virada

Como já acontece em Santa Catarina com Moisés da Silva, no plano nacional agora chegou a vez de Jair Bolsonaro experimentar a contrariedade da militância virtual de direita.

A revolta eclodiu após a escolha do novo Procurador-Geral da República, Augusto Aras.  Houve reações externas. E internas. Aras não figurou na lista tríplice do Ministério Público apresentada ao presidente. Ou seja, Jair Bolsonaro ignorou olimpicamente a eleição dentro da instituição.

Já estão previstas manifestações de procuradores e promotores para esta segunda-feira. 9.

Com a popularidade em baixa e sentindo a própria tropa virtual a lhe bafejar a nuca, Bolsonaro quebrou todos os protocolos no dia 7 de setembro. Desceu do palanque oficial, transformando o asfalto em um palanque pessoal ao acenar para populares, posar para fotos e permitir que uma criança acompanhasse a comitiva oficial da solenidade.

 

Popularidade perdida

Com 25 pontos de popularidade a mais que o chefe, segundo o Datafolha, o ministro Sérgio Moro também estrelou o momento. Foi afagado pelo presidente, que o manteve ao seu lado em boa parte dos atos cívicos. Enquanto a economia não reage com mais força, o presidente parece ter gastado a maior parte, ou quase que a totalidade, de seu capital político. O 7 de setembro pode marcar uma guinada na tentativa de buscar a popularidade perdida até aqui.

 

DE SC

Empresário Luciano Hang, trajado com seu já tradicional terno verde e amarelo, também esteve ao lado de Jair Bolsonaro e autoridades durante o 7 de setembro em Brasília.

 

Contraponto

Em guerra declarada com a Rede Globo, o presidente da República também teve as companhias dos empresários Silvio Santos e Edir Macedo no sábado.

 

Caos

Deputados Altair Silva e Marcos Vieira são os proponentes de audiências públicas para discutir a caótica situação da SC-283, rodovia estadual que se inicia em Concórdia e vai até Itapiranga, no Extremo-Oeste. Ela é uma das principais rotas de escoamento da produção agroindustrial da região Oeste do Estado, ao lado da BR-282.

 

FRASE

“Resolvemos fazer o caminho inverso. É como levar a montanha até Maomé. Não existe necessidade desse desgaste, além de representar uma expressiva economia de recurso público.” Rogério Peninha Mendonça, coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, que fará reunião em Florianópolis, nesta segunda-feira, evitando, assim, que muitas lideranças tenham que fazer mais uma viagem a Brasília

 

Economia

A Câmara Municipal de Florianópolis adotou nos últimos meses mais uma medida de responsabilidade fiscal para ajudar a acertar as contas do Executivo. Estão sendo repassados mensalmente R$ 700 mil como aporte ao Fundo Previdenciário dos Servidores de Florianópolis, a parte que cabe ao Legislativo Municipal. Isso libera a prefeitura de ter que cobrir o déficit com orçamento próprio, o que aconteceu em anos anteriores.

 

Previdência

Além disso, a cada quadrimestre, a pedido do presidente Roberto Katumi, é checado o resultado das ações de economia, o que permitiu devolver, além desses valores que reduzem o déficit previdenciário, mais R$ 1 milhão e R$ 400 mil para o caixa do município poder desenvolver ações prioritárias em Saúde e Educação.

 

Posts relacionados

João Rodrigues reavalia saída do PSD

Autor

Pirotecnia na magistratura

Autor

O desafio de Bauer

Autor