Blog do Prisco
Coluna do dia

O fato

Assunto do dia desde ontem à noite em Florianópolis e parte de Santa Catarina, o BO que uma ex-servidora da secretaria de Turismo da prefeitura registrou contra Gean Loureiro, atual alcaide e candidato à reeleição. A mulher o acusa de estupro nas dependências da municipalidade.

Gean veio a público rebater a acusação. Confirmou que houve relacionamento extraconjugal com a servidora. Mas que foi de forma consensual.

Há pouco menos de duas semanas para as eleições, o prefeito lidera as pesquisas de intenção de voto e fala em armação política para tentar desestabilizá-lo.

Evidentemente que as investigações sobre a acusação de estupro não vão estar concluídas antes do pleito municipal. Também por isso, o fato pode ter consequências imprevisíveis sob o aspecto eleitoral. A Polícia Civil encaminhou o assunto ao Tribunal de Justiça, que já despachou o BO para o Ministério Público. Gean tem foro privilegiado.

O factoide

Pela acusação da ex-servidora, ela teria sido agredida pelo prefeito em 2017. Mas só agora, às vésperas da eleição municipal, é que o assunto vazou. Espera-se que as autoridades investigativas levem o contexto em consideração, pois a acusação é gravíssima e tudo precisa ficar esclarecido.

Baixaria

Agora, o contexto eleitoral não apaga o que fez o prefeito, usando as dependências da prefeitura para aquilo que ele chamou de relação extraconjugal consensual. Na qualidade de chefe do executivo, Gean é o servidor público número 1 da Capital, por excelência. Dá um péssimo exemplo, mancha sua trajetória pessoal e pode ter colocado em risco o projeto de reeleição. Ele fez um governo muito bom, o que não lhe dá o direito de atos como o que foi gravado, ao que tudo indica, como uma espécie de salvaguarda da denunciante. A conferir os desdobramentos policiais e políticos/eleitorais.

Sem nazismo

A governadora Daniela Reinehr parou o que estava fazendo neste início de governo, que nunca é fácil, ainda mais numa situação dessas, para emitir a nota abaixo. Só faltou ela desenhar que não defende o nazismo depois da histeria que tomou conta de setores bem específicos da  mídia nacional. De viés esquerdista, claro. Tudo por conta de um post em rede social (ah, a rede social), de um cidadão que se disse ex-aluno do pai da governadora. Segundo o post, o pai dela teria defendido “ideias nazistas em sala de aula” e “vendido livros revisionistas”.

Pelo teor da nota, fica claro que a governadora não compartilha dos ideais nazistas.

Em nota, Daniela assinalou, no final do texto. “Sou amiga de Israel e dos judeus. Qualquer afirmação contrária não corresponde com a verdade.”

Com o fórum

O coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, deputado federal Daniel Freitas, esteve reunido na tarde desta quinta-feira (30), com a governadora Daniela Reinerh.

Na pauta, o alinhamento das ações da bancada catarinense com as principais demandas do Estado. O secretário da Casa Civil, general Ricardo Miranda, participou do encontro.

Segundo o parlamentar, a conversa foi muito produtiva e vai trazer bons frutos para o Estado. “A governadora ouviu com muita atenção todas as colocações propostas, e, com pontual disposição, estamos convocando para a próxima semana, uma reunião com todos os representantes do Estado no Congresso Nacional”, informou Daniel Freitas.

Posts relacionados

Operação delicada

Autor

Fraco desempenho da rua fortalece Dilma

Autor

O tamanho do rombo

Autor