Blog do Prisco
Coluna do dia

O que vem agora

A tendência da política tupiniquim, observada nestes primeiros dias pós-tsunami eleitoral e da vitória de Jair Bolsonaro, é uma reacomodação generalizada das forças partidárias. Partidos como MDB e PSDB de um lado, e de outro, PSD (dividido em Santa Catarina) e PP, por exemplo, não têm mais a menor condição de ficarem como estão.

Ali na frente, no vácuo dos encaminhamentos nacionais e dentro das peculiaridades regionais, certamente ocorrerão debandadas, fusões – até pela imposição da cláusula da barreira e do impedimento de coligações proporcionais nas próximas eleições – e um novo quadro político-partidário se consolidará já em 2019.

Em Brasília, já se fala inclusive em abertura de nova janela de mudanças partidárias sem o risco de perda dos mandatos de deputados e senadores. A velha e boa janela da traição. Seria novamente em março. Ou até em abril do próximo ano.

 

Família

Em Santa Catarina, observa-se, por exemplo, a situação do PP. É um partido que hoje tem cinco mandatos. Sendo três de uma mesma família, a família Amin. Evidentemente que isso vai levar o grupo que não está alinhado ao casal Esperidião e Angela, a avaliar novos rumos. Não será surpresa se o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, buscar entendimento com Júlio Garcia ou Gelson Merisio. Nesta toada também pode estar Paulo Bornhausen, presidente estadual do PSB.

 

Tsunami

No outro espectro, Napoleão Bernardes é cotado para assumir a presidência estadual do PSDB. Não seria de se estranhar se mais à frente ele chegar a entendimentos com setores do MDB, formando uma nova força política. A verdade é a seguinte: depois do tsunami que varreu boa parte da velha política nacional e estadual, tudo pode acontecer.

 

De volta

O deputado Gelson Merisio esteve em São Paulo na semana passada. Conversou com o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab. Avaliaram cenários futuros para o PSD, tanto no âmbito nacional quanto no campo estadual, onde o próprio Merisio preside a legenda.

Também conversaram sobre dívidas de campanha. Kassab sinalizou que vai ajudar o catarinense a saldar seus compromissos eleitorais.

 

Duas frentes

Merisio também já esteve com o ex-governador Raimundo Colombo e com prefeitos do PSD. Ou seja, está se rearticulando. Articulando firme para a futura composição da Mesa da Assembleia Legislativa, mas também cuidando do partido, ele vai retomando a rotina depois do resultado do segundo turno das eleições.

 

Aprovação

Futuro ministro da Justiça e símbolo do combate à corrupção no Brasil, Sérgio Moro sai da magistratura para entrar no governo com um índice astronômico de aprovação. Segundo o Instituto Paraná, 82% dos brasileiros aprovaram seu nome para o ministério de Jair Bolsonaro.

 

Polvorosa

Os bastidores políticos na Capital do Estado estão pegando fogo!

 

FRASE

“Na topografia, existem três nortes, o da quadrícula, o verdadeiro e o magnético. Na democracia só um norte, é o da nossa Constituição”, afirmou Bolsonaro, durante uma breve fala no evento.” Jair Bolsonaro, durante evento em comemoração aos 30 anos da Constituição, ontem, no Congresso Nacional.

Posts relacionados

Fechadíssimos

Autor

Tratorada governista

Autor

Prefeitos na berlinda

Autor