Coluna do dia

Os Dias de Alvaro

A passagem de Alvaro Dias por Santa Catarina, ontem, apesar de rápida, foi uma demonstração de grande prestígio político do senador, que é pré-candidato à Presidência da República pelo Podemos. Ele deixou claro que, além do palanque que terá do seu próprio partido, que está em formação, certamente terá apoio de pelo menos uma grande legenda estadual.

As definições estão na reta final. O local escolhido para o ato suprapartidário, no Hotel Castelmar, ficou absolutamente lotado e reuniu boa parte do PIB político catarinense. De Gelson Merisio a Dário Berger, passando por Jorge Bornhausen e Esperidião Amin, no total, mandatário e dirigentes de sete siglas compareceram.

Alvaro Dias concedeu, ainda, uma entrevista exclusiva ao colunista no SBT Meio-Dia de ontem. Demonstrou confiança e leitura certeira do cenário. Reafirmou que a candidatura é irreversível e que não há a menor possibilidade dele abrir mão da cabeça de chapa em favor de algum nome de centro. Seja Geraldo Alckmin (PSDB) ou Henrique Meirelles (MDB). O emedebista, aliás, terá dificuldade de homologar o nome na convenção.

 

Presenças

O ato suprapartidário de Alvaro Dias, além de mais de 400 pessoas, reuniu o presidente estadual do PSD e pré-candidato do partido ao governo, Gelson Merisio; o ex-governador Esperidião Amin, do PP, também pré-candidato ao governo; o ex-governador, ex-senador e ex-ministro Jorge Konder Bornhausen; o deputado federal João Paulo Kleinüning, do DEM, outro pré-candidato ao governo de Santa Catarina; o senador Dário Berger, do MDB, o deputado federal Osvaldo Mafra, do Solidariedade, e o deputado estadual Natalino Lázare, organizador do evento. Ele foi o primeiro mandatário a se filiar ao Podemos em Santa Catarina. Assim como o ex-deputado Paulo Bornhausen, do PSB, e o pré-candidato a governador pela Rede, o professor Rogério Portanova.

 

Ausência

O governador Eduardo Moreira (MDB) foi convidado para comparecer ao evento de Alvaro Dias. Convite feito diretamente pelo senador, por telefone. Mas não apareceu nem justificou a ausência. Dias também telefonou para Gelson Merisio, Esperidião Amin e João Paulo Kleinübing. O trio marcou presença.

 

Respirando

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados decidiu nesta quarta-feira (11) pelo arquivamento do processo de cassação de mandato contra o deputado federal João Rodrigues (PSD). O relator do processo, deputado Ronaldo Lessa (PDT-AL) defendeu a improcedência da denúncia feita por parlamentares da Rede e, por votação unânime, 12 votos favoráveis, o processo foi arquivado.

 

Outras instâncias

A vitória interna no Conselho de Ética da Câmara não só mantém o mandato de João Rodrigues como também pode fortalecer sua tese de defesa no STF. A defesa do deputado alega que o processo prescreveu. Caso ele retome a liberdade e a ficha limpa, não está descartada nova candidatura a federal.