Blog do Prisco
Notícias

Pedágio a R$ 14,80 no Oeste alarma Pedro Uczai

Em mensagem divulgada nas redes sociais, o deputado federal Pedro Uczai (PT/SC) comentou o processo de concessão de trechos de rodovias federais no oeste catarinense. O projeto de concessão foi apresentado na última semana pela Agência Nacional Transportes Terrestres (ANTT) em audiência pública na cidade de Chapecó. Pela proposta, a intenção do Governo Federal é conceder à iniciativa privada cerca de 400 quilômetros de rodovias iniciando no município de Lapa no Paraná pela BR 476.
A concessão será para o período de 30 anos.

UCZAI PEDÁGIOS OESTE

Em Santa Catarina, a ideia é conceder o trecho da BR 153 entre o município de Porto União e o entroncamento com a BR 282 em Irani; o trecho da BR 282 entre o entroncamento com a BR 153 e o município de Chapecó; e o trecho da BR 480 entre o entroncamento com a BR 282 e o centro de Chapecó. O projeto prevê a concessão para exploração da infraestrutura e da prestação do serviço público de recuperação, operação, manutenção, monitoração, conservação, implantação de melhorias, ampliação de capacidade e, consequentemente, cobrança de taxa de pedágio.
“Como princípio sempre fui contra a concessão de rodovias, contra o pagamento de pedágios. Mas como o Governo tomou a decisão de fazer a concessão de trechos das BRs 282 e 153 eu me posiciono sobre o mérito. Se tiver a concessão defendo que o pedágio seja um preço justo, não posso aceitar um preço que a ANTT expõe na ordem de R$ 14,80. Esse preço é abusivo e precisa ser revisto”, destaca Uczai, lembrando que o pedágio na BR 101 em Paulo Lopes é de R$ 1,80 ou na BR 116 em Correia Pinto R$ 4,10.
Com essa decisão do Governo de conceder à iniciativa privada a administração das rodovias no oeste catarinense, o
parlamentar defende a inclusão de todo o trecho da BR 282 entre São Miguel do Oeste até Campos novos no entroncamento com a BR 470. Já com relação à BR 153 o petista também quer a concessão desde a divisa com o Paraná até a divisa com o estado do Rio Grande do Sul. “Assim vamos integrar todo o estado com rodovias mais modernas e que possam dar melhores condições de trafego”, aponta. É o PT às voltas com seu modelo de privatizações, atestando a falência do Estado brasileiro.
Foto: Ag. Câmara, arquivo, divulgação

Posts relacionados

Dilma vem a Santa Catarina pela primeira vez depois da reeleição

Autor

Silvio Dreveck sugere debate sobre modelo de campanha eleitoral

Autor

Jornalismo político é tema de palestra de Natuza Nery

Autor