Blog do Prisco
Manchete

Peninha ao Senado

O deputado federal Rogério Peninha Mendonça está se preparando para emplacar uma vaga majoritária na campanha eleitoral do ano que vem.
Durante o fim de semana, Peninha lançou o nome do seu chefe de gabinete, o jornalista Rafael Pezenti, para a Câmara dos Deputados. A campanha será em dobradinha com outro ex-chefe de gabinete, Jerry Comper, hoje deputado estadual no espaço do ex-deputado Aldo Schneider.
Vale lembrar que Peninha é muito ligado ao presidente Jair Bolsonaro. Foram vizinhos de gabinete. São amigos pessoais.
Essa proximidade anima Peninha a buscar a bênção presidencial para a disputa ao Senado em 2022. Em 2018, quando Bolsonaro era apenas um azarão, o então pré-candidato à presidência instou Peninha Mendonça a buscar a vaga na Câmara Alta. Naqueles dias, Rogério Mendonça optou pela reeleição à Câmara. Poderia já estar senador, considerando-se os desfechos do pleito de 2018.
Mas o contexto não é tão simples. Há, por exemplo, o nome do secretário Nacional da Pesca, Jorge Seif Junior. Elé chamado de 06, tamanha sua intimidade com a família Bolsonaro, e se filiou recentemente ao PL justamente para ser a alternativa bolsonarista ao Senado em Santa Catarina.

Força do MDB
Outro aspecto a ser considerado. O MDB do Alto Vale sempre foi o mais forte de Santa Catarina. Começou essa trajetória com Ivo Vanderlinde, que passou o bastão a João Matos, parlamentar dono de vários mandatos de estadual e federal, além de diversas funções no primeiro escalão do governo do Estado.

Engrenagem regional
Quando Matos subiu à federal, Peninha elegeu-se deputado estadual. Engrenagem que não parou de girar. Peninha chegou a Brasília e Aldo Schneider ocupou o espaço de estadual, chegando à presidência da Assembleia. Com seu falecimento precoce, Jerry  Comper o substituiu no pleito passado.