Blog do Prisco
Coluna do dia

PMDB define posições para 2018

PMDB define posições para 2018

Consolidadas mudanças de comando em prefeituras estratégicas, e de mudanças de endereço de lideranças com grande potencial de votos para o pleito de 2016, fortalecendo o PSD não apenas pelo viés eleitoral desde 2014; o alto comando do PMDB Barriga-Verde já identificou uma troca histórica: o PP não é mais o grande inimigo peemedebista no Estado. Esta condição agora pertence ao PSD. Um paradoxo, sem dúvida, já que os dois partidos são os principais sócios do consórcio que pilota Santa Catarina há cinco anos. Um cidadão comum poderia até perguntar como podem governar juntos se um quer derrubar o outro?

Diante da constatação observada por Eduardo Moreira, Mauro Mariani e Dário Berger, o trio peemedebista definiu a estratégia de atuação e de reação com vistas a 2018: o vice-governador não está disposto a disputar mandato majoritário na próxima eleição para completar o mandato do atual governador, se esse vier a renunciar; Mariani pretende disputar o Senado e assumir a presidência do PMDB na convenção de outubro; enquanto Berger é o pré-candidato ao governo pelo maior partido catarinense.

Tudo bem, tudo certo, mas por ora faltou aos cardeais do manda brasa combinarem o jogo com os russos. Ou melhor, com Raimundo Colombo e os próprios aliados dentro do PMDB.

 

Resistências

A equação idealizada pelo trio desagrada, por exemplo, incentivadores de Pinho Moreira, que ganhou mais musculatura no contexto partidário após a morte de LHS, mas não estaria disposto a concorrer. A investidura de Mariani no comando do PMDB também rifa o atual dirigente em exercício, Valdir Cobalchini. Já a pretensão de guindar Dário Berger à cabeça de chapa é vista com enorme desconfiança por setores históricos do manda brasa.

 

Tiroteio

Depois que o PSDB resolveu falar abertamente em impechament, roubalheira e corrupção que teriam beneficiado a campanha de Dilma Rousseff, a petista reagiu. Chamou reunião de emergência segunda à noite com alguns líderes e aliados. Pediu que a turma defenda o governo e avisou, via jornal, que não deixa a presidência. A conferir o tamanho do apoio que a ex-mãe do PAC terá no Congresso.

 

Discurso e prática

Próceres do PT agora estão tachando o instrumento jurídico do impeachment de golpe. Não é. Se houver elementos suficientes que justifiquem o impedimento, tudo fica perfeitamente dentro dos preceitos democráticos. Ilegal é usar recursos milionários da Petrobras para campanhas eleitorais; e o pior: quebrar uma empresa gigantesca, com desvios bilionários, em nome de um projeto de poder.

 

Na nacional

Com Aécio Neves reeleito presidente nacional do PSDB, Santa Catarina ficou com dois representantes na executiva. O senador Paulo Bauer e a deputada Geovânia de Sá. Leonel Pavan não integra mais este colegiado tucano.

 

Boas vindas

O ex-deputado Antonio Ceron, presidente em exercício do PSD catarinense, recebeu no domingo prefeitos e vices do PSD em Florianópolis. O encontro serviu para dar as boas vindas aos novos prefeitos pessedistas: Roberto Prudêncio Neto (Brusque), Wellington Bielecki (Mafra) e Marcos Pedro Batistel (Marema).

 

Bronca

Do ano passado pra cá, o PMDB perdeu o prefeito de Lages, Elizeu Mattos, viu a liderança de Edson Piriquito ficar abalada após uma forte operação do Gaeco em Balneário Camboriú; perdeu um forte candidato a prefeito de Chapecó, Luciano Buligon; e ficou sem outro concorrente com musculatura, Marcos Weiss (Joaçaba). Não por acaso,  a legenda passou a considerar o PSD como inimigo número 1 em SC.

Posts relacionados

Modus operandi

leander

Correção de rotas

leander

O impeachment, o fortalecimento da pandemia e as eleições em SC

leander