Blog do Prisco
Image default
Coluna do dia

Presente de grego

Março chegou, o Carnaval está acabando e algumas fantasias vão cair. Uma das que está na berlinda para ir às calendas da história é o julgamento do STF no qual a roubalheira que os políticos apelidaram de caixa 2 tem tudo para sair do âmbito da chamada Justiça comum e ir parar nas cortes eleitorais.

Ou seja, o malfeito de esconder das autoridades e do público o quanto se arrecadou verdadeiramente numa campanha viraria um simples crime eleitoral.

O julgamento está marcado para o dia 13 de março, aliás um número emblemático. Dependendo do resultado, pode ser um belo presente de grego à Operação Lava Jato, que está completando cinco anos. E já levou ao xilindró algumas das figuras mais proeminentes deste país, como Marcelo Odebrecht, vários de seus executivos, os chefes da OAS, doleiros e políticos do calibre de Lula da Silva, Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Eduardo Azeredo e tantos outros.

 

Às moscas

Brasília e Florianópolis, politicamente falando, ficaram às moscas no Feriado de Carnaval. Teve até deputado que foi à Alesc e postou foto nas redes sociais. O problema não é o Carnaval e sim o excesso de folgas e recessos dos parlamentares.

 

Semana curta

Por falar em folgas, a semana encurtada que começa nesta quarta à tarde, não deve trazer grandes novidades ao universo político. Os trabalhos legislativos, fora das bases, serão retomados, de fato, na semana que vem

 

Que começo!

A atual legislatura na Alesc acabou de completar um mês. E já foram criadas duas CPIS’s. As duas com objetos pertinentes, mas uma delas já começa a exalar cheiro de pizza. A conferir! 

 

Decisivo

O mês de março será decisivo para a Nova Previdência e também às pretensões de reforma administrativa de Moisés da Silva.

 

No Norte

Definitivamente, Gelson Merisio elegeu Joinville como sua nova base eleitoral. Obviamente que ele não vai esquecer do Oeste, mas o ex-deputado e finalista na última eleição majoritária se articula para dar as cartas na eleição municipal de 2020 no maior colégio eleitoral de Santa Catarina.

 

Antecedente

Vale lembrar que na eleição de 2008, o então deputado Mauro Mariani (PMDB) desceu de Rio Negrinho para disputar o pleito na maior cidade do Estado. E acabou em 4° lugar, ficando atrás até mesmo de Kennedy Nunes, à época filiado ao PP. Para o 2° turno foram Carlito Merss (PT) e Darci de Matos (DEM). O petista acabou ganhando o embate. Imaginar agora que o representante do Oeste catarinense vá interferir na eleição de Joinville, parece um exagero!

Posts relacionados

Defensoria e OAB

Autor

Siglas desgastadas

Autor

O xadrez político

Autor