Blog do Prisco
Notícias

Presidente do TJSP conhece soluções de inovação para Justiça em Florianópolis

As soluções de inovação para a Justiça estiveram na pauta do encontro entre a comitiva de integrantes do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) e dirigentes da Softplan em Florianópolis. O presidente da Corte paulista, desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, juízes-assessores e gestores do Tribunal conheceram a sede da Softplan, empresa que desenvolve o sistema SAJ, solução adotada para o gerenciamento dos processos judiciais do TJSP.

Durante a visita, a comitiva do Tribunal conheceu as equipes responsáveis pelo desenvolvimento da solução SAJ; as metodologias ágeis de trabalho; e as instalações físicas da Softplan. A empresa mudou-se recentemente para o Sapiens Parque, polo nacional de tecnologia, que vem sendo considerado como o Vale do Silício brasileiro.

Softplan TJSP 2

“Saio daqui muito feliz por ter conhecido melhor a empresa que desenvolve o nosso SAJ. Foi uma oportunidade de acompanhar, de perto, os projetos desenvolvidos, o andamento da parceria entre a Softplan e o TJSP”, conta o presidente Dimas. Ele diz que conheceu pessoas muito comprometidas que têm um “brilho no olhar” para garantir a evolução do “nosso” Sistema.

Soluções de inovação para a Justiça

A Softplan apresentou soluções de inovação para a Justiça que usam inteligência artificial.

“O uso da computação cognitiva é a alternativa para tornar mais célere o trabalho dos juízes e magistrados. Com isso, as respostas à sociedade serão mais rápidas e mais assertivas”, explica Ilson Stabile, diretor-executivo da Softplan.

Uma das soluções apresentadas foi o “Assistente Digital do Magistrado” que promete conferir mais agilidade ao trabalho de decisão judicial. Com o uso da computação cognitiva, podem-se encontrar padrões e modelos nas sentenças para promover apoio à decisão dos juízes.

A Softplan apresentou o cenário atual do Big Data no mundo, relacionando as possibilidades de aplicação da tecnologia de ciência de dados ao ecossistema da Justiça.

Um destes casos é o SAJ Analytics, que analisa o histórico de dados do Tribunal e os combina com fatores externos ao segmento, como índices econômicos e sociais. A combinação dos dados pode prever padrões de entrada de novos processos e de principais classes das peças.

“A previsibilidade pode fazer com que o Tribunal haja preventivamente, por exemplo, para alocar recursos em determinadas unidades judiciais”, comenta Marcos Florão, assessor de Inovação da Softplan.

Outras soluções apresentadas foram o SAJ Signer, o novo assinador digital que dispensa o uso do token físico para assinatura dos processos. Outra inovação foi o chamado “Waze do processo”, que objetiva fazer cumprir a garantia constitucional de “razoável duração do processo”. Ao encontrar padrões, o sistema pode sugerir procedimentos para a tramitação ser 30% mais rápida.

“É inegável que a tecnologia traz uma contribuição importantíssima para a prestação de Justiça, haja vista a produtividade recorde que alcançamos no ano passado. Mas lembro que nada vai substituir o trabalho humano”, afirma Dimas. Para ele, as soluções ajudam e apoiam a gestão e a tomada estratégica de decisão.

Além da tecnologia apropriada, o presidente reforça que capacitações e treinamentos são essenciais. Para ele, o projeto Justiça Bandeirante foi um dos responsáveis pelo aumento nos índices de produtividade.

[http://www.sajdigital.com.br/tribunal-de-justica/recorde-de-produtividade-tjsp/]

Participaram da visita à Softplan, os juízes assessores Tom Brandão, Aléssio Martins Gonçalves, Ana Paula Sampaio de Queiroz Bandeira Lins, além das servidoras Rosely Castilho, Nívia Philippi e Rosangela Sanches.

 

Posts relacionados

FIESC IMPLANTA EM CHAPECÓ AÇÕES INOVADORAS EM EDUCAÇÃO

Autor

Fundação Carlos Joffre recebe certificado de responsabilidade social da Alesc

Autor

ACATE apoia Fundo Comunitário de Reconstrução

Autor