Blog do Prisco
Coluna do dia

Público interno

As articulações políticas em Santa Catarina estão em compasso de espera. Os principais partidos e seus potenciais pré-candidatos trabalham na estruturação interna, mobilizando e filiando lideranças com vistas aos projetos eleitorais de 2018. O PSD, partido do governador, marcou grande evento para este sábado, em Lages, berço político de Raimundo Colombo. Marcará a arrancada de Gelson Merísio ao governo do Estado.

O PSDB, assim como o PMDB e o PP em Santa Catarina não ficam para trás. Muita movimentação interna e projeções de nomes e possíveis alianças. Mas nem tudo são flores. O grande problema no qual esbarram os caciques regionais é a questão nacional.

Ainda não é possível prever até que ponto o contexto federal vai influenciar o pleito estadual. A saber: como será o desempenho de Michel Temer daqui até meados do ano que vem; Temer conseguirá continuar no poder ou será levado à guilhotina por conta do processo de cassação que corre no TSE; como estará a economia do país no ano eleitoral e, o recheio do bolo, que são os desdobramentos que estão por vir na esteira das investigações da Lava Jato. Fortes emoções e muita água para sair ainda dos dutos da força-tarefa até as definições em julho/agosto de 2018.

 

Quarteto

Até o momento, o que a Lava Jato levantou atinge, em cheio, figuras históricas de PMDB, PP e agora do PSDB. O PT não está sendo levado em consideração neste contexto porque não faz mais parte do bloco de grandes partidos de Santa Catarina. A quarta legenda neste grupo é o PSD, por ora o menos atingido dos quatro. Mas há as suspeitas envolvendo o ministro (Comunicações) e ex-prefeito paulistano, Gilberto Kassab, presidente nacional do partido.

 

Incógnita

Nos bastidores, expectativas também em torno das doações à campanha vitoriosa de Raimundo Colombo em 2010 e suas hipotéticas conexões federais. Resumindo: quadro aberto e absolutamente indefinido no Estado.

 

Boa nova

Excelente a notícia de que a Coreia do Sul autorizou a importação de carne suína catarinense. Mais um passo na direção da dolorosa, e que deve levar anos, recuperação da imagem da carne brasileira. Santa Catarina ainda tem o diferencial de ser área livre de vacinação contra a aftosa, mas o Estado não é uma ilha. Está inserido no contexto nacional.

 

Agendas

Sempre que possível, o presidente da Assembleia, Silvio Dreveck (PP), casa sua agenda com a de Raimundo Colombo nos principais eventos. Sintonia que tem as bênçãos de Gelson Merísio. Nos bastidores, circulam informações dando conta de que Dreveck avalia a possibilidade de disputar a Câmara Federal. Tudo dentro da perspectiva que Merisio vem construindo de ter o PP como aliado em 2018.

 

Sempre ele

Pela sobrevivência política, Renan Calheiros nunca mediu e nunca medirá consequências e esforços. De olho em 2018, ele passou a ser mais oposição ao correligionário Michel Temer do que muitos petistas. Típico do caráter, digamos, aguçado, do notório senador alagoano.

 

Desempenho

Do ramo, o ministro da Agricultura, Blairo Baggi, participa da abertura da Festa da Cebola, nesta quinta, em Ituporanga. Ele está com conceito em alta junto a autoridades e empresários do agronegócio catarinense, pela forma como vem atuando, acentuada no episódio da Operação Carne Fraca.

Posts relacionados

Retrocesso

Autor

Menos partidos

Autor

Vitoriosos e derrotados

Autor