Blog do Prisco
Destaques

Queda de 7,3% no faturamento de Natal

Na melhor época do ano para o comércio, as vendas de Natal tiveram queda no faturamento se comparado a data em 2014. Dados da Pesquisa de Resultados de Vendas de Natal 2015, produzida pela Fecomércio SC, apontam que o gasto médio por compra no comércio varejista em Santa
Catarina chegou a R$ 198,56, enquanto que em 2014 o consumidor gastou em média R$ 189,40.

Na avaliação do Presidente da Federação, Bruno Breithaupt, o resultado das vendas não foi favorável aos empresários como nos anos anteriores: “Apesar do crescimento no valor das vendas, as persistentes pressões inflacionárias, o aumento das restrições ao crédito – fruto do aumento dos juros e da desaceleração da renda, impactaram no gasto médio deste ano, em termos reais chegando a -5,6% em relação a 2014, com a inflação acumulada no período de 10,4%.”

natal queda

A variação do faturamento do comércio varejista comparado a 2014 teve registro negativo chegando a -7,3%, entre o anos de 2013 e 2014 o recuo bateu 1,9%. A queda maior na receita em 2015 confirma que o aumento do gasto médio não deve ser comemorado, pois é reflexo da
diminuição do consumo das classes com renda mais baixa, representando, assim, uma queda no volume de vendas.

Blumenau foi a cidade que teve a maior variação negativa do faturamento -14,7%, já os comerciantes de Chapecó tiveram uma queda na receita de -0,5% em relação as vendas de Natal de 2014. Não houve uma cidade pesquisada que apresentou resultado positivo, quando comparado ao ano de 2014.

Segundo a Federação, os motivos para a redução do faturamento vem da própria retração da economia observada durante o ano de 2015. Ao longo do período a economia diminuiu o acesso ao crédito, que é o grande impulsor das vendas do comércio. Em Santa Catarina, foi dificultado, devido aos elevados juros e ainda à perda na qualidade do emprego, o que torna o consumidor mais cauteloso em suas decisões de consumo.

Entretanto, mesmo com o menor ritmo de crescimento anual, o Natal continua sendo uma data fundamental para o comércio. “O crescimento do faturamento em relação aos meses comuns do ano foi de expressivo 9,3%, demonstrando o tamanho do incremento das vendas trazida pela data
”, afirma Breithaupt.

Os impactos no mercado de trabalho foram significativos em todo o Estado, 30,1% do comércio varejista realizou contratações para atender o aumento da demanda no período. Novamente o percentual é menor que o apurado no ano passado, quando foi de 37,2%.

Vendas em números

Na hora do pagamento os catarinenses optaram por pagar à vista (70,2%). Dentro desse tipo de pagamento o cartão de crédito representou 28,4%, o cartão de débito 23,6% e o pagamento em dinheiro 18,2%.

Na compra efetivada com parcelamento, o cartão de crédito liderou com 22,1%. No geral, o pagamento com cartão de crédito e débito foi muito expressivo (74,1%), demonstrando o elevado grau de substituição do dinheiro de papel pelo de plástico.

Também chama a atenção, o número de consumidores que optaram por pagar suas contas nas diversas modalidades de crédito- cartões de crédito, à vista ou parcelado e crediário ( 57,5%).

Antes de efetuar o pagamento o consumidor lançou mão de uma conhecida estratégia: a pesquisa de preço. Os resultados indicam que, de acordo com 40,5% dos estabelecimentos comerciais, a pesquisa de preços por parte dos consumidores foi alta. Já para 28,9% a frequência de pesquisa de preços foi considerada baixa e para 29,9% dos empresários a pesquisa de preço pelo consumidor foi razoável.

Foto: divulgação