Blog do Prisco
Coluna do dia

Questão de tempo

A edição da revista IstoÉ desta semana traz revelações que, segundo a publicação, constam no acordo de delação premiada de Marcelo Obdebrecht, até o ano passado chamado de príncipe do empresariado brasileiro.

O herdeiro de Emílio Odebrecht, antevendo que poderia apodrecer no xilindró se não entregasse os chefões do esquema político, resolveu abrir o bico. O que só reforça a sensação de que a Lava Jato está no caminho certo, pois até bem pouco tempo atrás se alguém dissesse que ele passaria anos atrás das grades, seria chamado de louco.

O ex-príncipe entregou Lula da Silva (mais uma vez delatado), Dilma Rousseff (novamente),  mais de 100 parlamentares e 20 governadores e ex-governadores, aos investigadores federais. A delação ainda não foi homologada pelo ministro Teori Zavascki, o que pode ocorrer até o final deste mês. A prisão do ex-metalúrgico parece, cada vez mais, apenas uma questão de tempo.

 

Bolada

Somente ao papa do petismo que, na maior cara-de-pau, continua a incitar seu séquito de fanáticos contras as investigações e instituições, a Odebrechet teria repassado, em dinheiro vivo (o modus operandi clássico da corrupção), cerca de R$ 8 milhões entre 2012 e 2013. Para se ter uma ideia do que significa esse valor, um trabalhador que recebe salário mínimo, com direito a décimo terceiro, teria que trabalhar 70 anos, sem gastar absolutamente nada (desconsiderando-se taxas de juros) para poupar R$ 8 milhões.

 

Números astronômicos

Ainda de acordo com a reportagem da IstoÉ, a empreiteira estaria reconhecendo que pagou aproximadamente R$ 7 bilhões em propinas, em diversos países. A Odebrecht tem 200 mil funcionários e faturamento anual, relativo a 2015, de R$ 135 bilhões.

 

Tripé

A delação de Marcelo Odebrecht atinge principalmente PT e PMDB, inclusive ministros de Michel Temer. Mas também não deixará ileso o PSDB.

 

Dilma

Já é citada 18  vezes em negociações que envolveriam diretamente o pagamento de propina. Questão de tempo para a aura de “ex-presidenta honesta” virar pó, assim como já virou a reputação de seu criador.

 

In loco

O Fórum Parlamentar Catarinense fará uma audiência em Tubarão, no próximo dia 18, com a presença de órgãos estaduais e federais, agentes financeiros públicos, governo federal, e entidades empresariais, a fim de agilizar ações, que visam à recuperação do município, depois do forte vendaval que o assolou. Agenda acertada após audiência entre o coordenador do colegiado, senador Dalirio Beber, e o reitor da Unisul, Sebastião Heerdt.

 

Troca no comando

Prefeito eleito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, está deixando a presidência do PSB na cidade. O comando partidário da principal legenda do futuro governo ficará a cargo do ex-vereador José Benvenutti, o Leko. “Neste momento, como futuro prefeito, precisarei me dedicar 100% aos compromissos que assumi com a nossa cidade. Mas, tenho a certeza de que o partido estará em ótimas mãos”, projeta Fabrício.

 

Queijo de cabra

Em vigor desde setembro, a lei que regulamenta a produção e a venda do queijo artesanal serrano começa a produzir efeitos práticos. A Epagri promoveu, em São Joaquim, um concurso com 28 queijeiros, que até agosto deste ano só podiam produzir queijo para consumo próprio.

O autor da lei, o deputado Gabriel Ribeiro (PSD), fez um histórico da produção do queijo a partir do leite de cabra na Serra da Estrela, em Portugal. A cultura da produção local está passando por uma transformação.

Posts relacionados

Tendência de saída

Autor

Renan na mira

Autor

Gavazzoni ajuda na articulação

Autor