Blog do Prisco
Coluna do dia

Rodrigues deve ficar no PSD

Rodrigues deve ficar no PSD

Descontente desde o início do segundo mandato de Raimundo Colombo, quando perdeu espaço político e administrativo, o deputado federal João Rodrigues praticamente desistiu de sair do PSD para assumir o comando do DEM em Santa Catarina.

Com a janela de transferência que seria embutida na “gambiarra” política tecnicamente sepultada, o presidente nacional do PSD, ministro Gilberto Kassab (PSD), manifestou-se, assegurando que não requisitaria, pela vida judicial, o mandato de quem optasse por desembarcar. Mesmo assim, Kassab fez um apelo pela permanência do ex-prefeito de Chapecó nas hostes pessedistas.

No que foi acompanhado pelo governador e pelo presidente da Assembleia, deputado Gelson Merísio. Em conversas separadas na última segunda-feira, os dois pediram a Rodrigues que permaneça na legenda. E asseguraram que o parlamentar está no páreo com possibilidades de ser o nome do PSD à majoritária em 2018.

A escolha recairia sobre quem chegar às vésperas do pleito com mais musculatura política e eleitoral.

 

 

SC na Lava-Jato

Sócio da Engevix, empresa que atua em vários ramos ligados à engenharia e à administração, o empresário José Antunes Sobrinho, que mora em Florianópolis, é o segundo catarinense a “estrelar” as listas de suspeitos de corrupção no âmbito da Operação Lava-Jato.

 

 

Estreante

O primeiro representante de Santa Catarina a figurar no mega escândalo foi o ex-deputado federal João Alberto Pizzolatti (PP), que não mora mais em Santa Catarina. Vive em Roraima, onde é secretário de Estado.

 

 

Onda

Prefeito Cesar Souza Junior, da Capital, também anunciou “cortes na própria” carne, visando a fechar as contas da prefeitura no fim do ano. Além de reduzir o próprio salário em 30%, e os secretários em 10%, ele avisou que vai buscar a renegociação de grandes contratos, para obter até 15% de desconto nos valores devidos.

 

 

Contraponto

A Adepol enviou nota à coluna, argumentando que o retorno de mais de 100 servidores da Polícia Civil ao trabalho, depois da edição da MP 203/2015, no início de agosto, não teve relação direta com a medida do governo. “Com relação às licenças prêmio e especial, salientamos que se trata de um direito do servidor e, via de regra, ela termina no final de cada mês. Dessa forma, resta claro que servidores retornarão às atividades no início de cada mês”.

 

 

Licença saúde

Segue a argumentação da Adepol: “Com relação às licenças para tratamento de saúde, temos que levar em conta que várias decisões de afastamentos das juntas médicas podem ter expirado no início de agosto, razão pela qual, não em razão da MP, mas pelo término da licença é que colegas retornaram às atividades”.

 

 

Números oficiais

Ontem, na Assembleia, o secretário da Fazenda, Antônio Gavazzoni (PSD), afirmou que somente em 2015, a folha de pagamento da Secretaria de Segurança Pública cresceu R$ 700 milhões. Ano passado, emendou o pessedista, o incremento foi de R$ 600 milhões.

 

 

Nepotismo

Prefeito de Campos Novos, Nelson Cruz (PMDB) foi obrigado a demitir a esposa, Carla Cruz, da Secretaria de Assistência Social; e a esposa do vice-prefeito da pasta da Educação. Pressionado pelo Ministério Público, o peemedebista corria o risco de ser enquadrado na lei antinepotismo.

 

Posts relacionados

Ângela: silêncio absoluto

Autor

O impeachment, o fortalecimento da pandemia e as eleições em SC

leander

Cenário em Joinville

Autor