Blog do Prisco
Coluna do dia

SBT Meio-Dia – 28/05/2015

A projeção de Milton Hóbus

Ex-prefeito de Rio do Sul por dois mandatos, Milton Hóbus (PSD), está promovendo uma verdadeira revolução na estrutura da Defesa Civil em Santa Catarina. Titular da pasta estadual, ele adotou um cronograma invejável de trabalho, além de um planejamento amplo e passível de execução. Terceiro mais votado para deputado estadual em 2014, Hóbus vem sendo lembrando para estar na chapa majoritária do PSD (governador, vice ou senador) em 2018.

Não é para menos. Ele está lançando a licitação para construir o primeiro centro de monitoramento de alerta no Estado. A inauguração está prevista para meados de 2016, em Florianópolis. O equipamento permitirá ao governo emitir alertas sobre chuvas, ventos, tornados, enxurradas e outros eventos naturais para todos os 295 municípios de Santa Catarina. As informações serão específicas para cada cidade. O pessedista já está em contato com os prefeitos catarinenses para fazer todo o planejamento de implantação do sistema. Vários radares vão ser instalados no território Barriga-Verde, cobrindo toda Santa Catarina.

 

 

Interação

Além de precisão na previsão, o centro de monitoramento permitirá a interação com a população. Ele proporcionará o disparo de informações via celular para cada aparelho da cidade, desde que devidamente cadastrado. A partir disso, haverá interação entre a central de Florianópolis e as bases regionais, incluindo a participação popular. Ou seja, interação em tempo real no caso de desastres naturais, de qualquer tipo, em qualquer lugar.

 

 

Resultados

A revolução de Milton não depende só do centro de monitoramento. Seu estilo empreendedor e objetivo já gerou grandes resultados. Foi o que se viu na tragédia dos tornados em Xanxerê, quando a resposta do governo foi rápida e eficaz, levando-se em consideração a gravidade do desastre. Outra ambição do riossulense é tornar a Secretaria de Defesa Civil autossustentável.

 

 

Levantamento

Técnicos da pasta estão fazendo um levantamento de todas as bacias, barragens, rios e riachos do Estado justamente para usar a água, que muitas vezes cai em excesso em Santa Catarina, para gerar energia. Hóbus já está articulando com o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, para que a empresa banque os projetos. Deve ser criado um fundo, reservando 20% da receita de toda a energia gerada a partir dos projetos da Defesa Civil para a própria pasta. Os recursos serviriam para amenizar o efeito de desastres que não puderem ser evitados por todo o sistema de prevenção, como a construção de casas, ruas, etc.

 

 

Ideli internacional

Depois das ventilações que apontavam que a ex-senadora  Ideli Salvatti poderia ser aproveita no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento da Humanidade (PNUD), o nome dela passou a circular também para um possível assento na Organização dos Estados Americanos (OEA).  A conferir. De qualquer forma, o futuro da petista parece que passa mesmo pelo contexto internacional, bem longe do país.

Posts relacionados

Liminar negada

leander

A marca do PT

Autor

Rumo ao cadafalso

Autor