Blog do Prisco
Coluna do dia

Sinal verde

Raimundo Colombo  foi recebido em audiência pelo presidente Michel Temer, no início da noite desta quinta-feira, 30, no Palácio do Planalto, em Brasília. Dois assuntos dominaram o encontro. As ações do governo federal após a operação Carne Fraca e a aprovação do pedido de financiamento do Estado para lançar a segunda etapa do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam).

De acordo com o governador, a Secretaria do Tesouro Nacional está finalizando o relatório acerca da captação de financiamento junto ao BRDE para a segunda edição do Fundam. “O estudo tem parecer favorável,” informa Colombo, salientando que são cerca de R$ 700 milhões destinados a “atender 100% dos municípios de Santa Catarina.” Prefeitos e deputados certamente vão comemorar a notícia. A primeira edição do Fundam, há dois anos, foi a salvação da lavoura para muitos políticos, notadamente os gestores de pequenas prefeituras. Os recursos podem ser utilizados para obras de infraestrutura, construção de creches, escolas, postos de saúde, enfim, fica a critério de cada município. Na primeira versão, coube aos deputados realizarem as indicações. Cada um teve uma cota específica para destinar.

 

Palmas

Raimundo Colombo também agradeceu e elogiou a atuação do presidente no episódio da Carne Fraca, destacando, ainda, a atuação do Ministério da Agricultura. “Governo agiu na hora certa, na medida certa, com muita precisão. Mostrou que a primeira versão não era real, conseguindo credibilidade. O processo foi muito bem administrado,” enalteceu o governador. A reforma da Previdência também foi tratada na audiência.

 

Novas frentes

Diretor de Geração, Transmissão e Novos Negócios da Celesc, Ênio Branco, começa a colocar em prática este ano projetos que vinham sendo gestados desde que ele assumiu o cargo. A empresa vai entrar nos segmentos Telecom (telefonia) e também de venda (comercialização) de energia elétrica. Segundo Branco, já foram enviadas cartas-convites para interessados em participar dos projetos mediante a formalização de Sociedades de Propósitos Específicos.

 

30 dias

O prazo desta etapa é dia 30 de abril.  O executivo explica que a Celesc gestiona junto à Anatel para obter licença que permita à companhia atuar nos segmentos de dados, voz e imagem.

 

Nicho

O diretor avisa, contudo, que a Celesc não pretende competir com as gigantes da telefonia. Atuará em segmentos específicos. Mesmo assim, entende Ênio Branco, tem potencial para tornar-se uma telefônica robusta. A empresa tem seis mil quilômetros de fibras óticas à disposição para o projeto.

 

Comércio

Dinâmico, Branco também articular a todo o vapor o ingresso da Celesc no mercado de venda de energia elétricas aos chamados consumidores livres. São empresas que podem escolher seu fornecedor do insumo. Estas mudanças são reflexos da profunda transformação administrativa da Celesc, hoje transformado em empresa de economia mista, com metas e controles bem mais rígidos.

 

Bolada

Apesar de toda a pressão contrária e dos ataques sórdidos sofridos por alguns de seus integrantes, a força-tarefa da Lava Jato avança. Com o pedido, mediante ação civil pública já ajuizada, de devolução de R$ 2,3 bilhões aos cofres públicos, bagatela que teria sido roubada por integrantes do PP, a operação entra em novo momento: o de responsabilizar partidos políticos por ações criminosas, cobrando o devido ressarcimento.

 

DNA

O processo envolve 10 “expoentes” das hostes progressistas.  Entre eles, o catarinense, ex-deputado federal de cinco mandatos, João Pizzolatti, atualmente secretário de Estado em Roraima.

Posts relacionados

MDB em xeque

Shirlei Demetrio

Segundo voto

Autor

Udo é Mariani 2018

Autor