Blog do Prisco
Notícias Últimas

Substituição de lâmpadas de vapor de sódio por LED pode reduzir gasto com energia em até 45%

Na região Sul, esse tipo de iluminação é utilizado em apenas 0,1% dos pontos de iluminação pública

Dados da Associação Brasileira da In­fraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) mostram que na região Sul as lâmpadas de LED estão em aproximadamente 0,1% dos pontos de iluminação pública. Ou seja: menos de um em cada mil postes tem esse tipo de equipamento.  Já as lâmpadas de vapor de sódio (71,1% do total) e de vapor de mercúrio (23,6%) são a maioria nas ruas, praças e postes.  A substituição das lâmpadas de vapor, menos eficientes, por LED resulta em redução de até 45% na quantidade de energia gasta na iluminação. Estudos produzidos no Reino Unido mostram ainda que há diminuição nos acidentes de trânsito e impacto positivo até sobre a diminuição da criminalidade.

Instituições como o BNDES, a Caixa Econômica Federal (CEF), o Banco Mundial, por meio do IFC (Internacional Finance Corporation) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento/BID participam de discussões técnicas e apóiam projetos de melhoria dos sistemas de iluminação pública em diversas cidades do País.  Um dos projetos de maior envergadura em implantação é o de Porto Alegre, que planeja colocar lâmpadas de LED, mais econômicas e com maior poder de luminosidade, nos postes do município. O leilão do projeto está marcado para o dia 29.

Especialista em infraestrutura, o advogado Tiago Jacques, da Cavallazzi, Andrey, Restanho e Araújo Advocacia, diz que as discussões realizadas indicam que um caminho adequado para garantir investimentos na área é a criação de Parcerias Público-Privadas (PPPs), como já ocorreu em Belo Horizonte. Nesse formato, empresas realizam o investimento em melhorias da infraestrutura e são remuneradas com recursos da COSIP.

 “A PPP é um caminho interessante quando levamos em conta que há necessidade de investimentos bastante significativos que resultam em ganhos de médio e longo prazo, mas que não podem ser feitos por municípios que hoje enfrentam grave crise fiscal”, diz Jacques. Para o bom andamento das PPPs, acrescenta, há necessidade de que sejam estabelecidas regras que garantam ambiente regulatório estável; a apresentação de projetos estruturados; a criação de contratos equilibrados e flexíveis para ajustes no longo prazo, e a  segurança na remuneração do parceiro privado.

Posts relacionados

Santa Catarina quer exportar leite para China

Autor

Advogada de SC no Conselho Federal da OAB

Autor

Mariani quer renúncia da executiva nacional do PMDB

Autor