Blog do Prisco
Destaques Notícias

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA MORRE, AOS 75 ANOS, EM JOINVILLE

O senador Luiz Henrique da Silveira, 75,  faleceu na tarde deste domingo em Joinville. A informação já está confirmada, mas ainda não se sabe exatamente qual foi a causa da morte do líder peemedebista. Ele foi vítima de duas paradas cardícas. Depois de uma fratura no pé esquerdo, ele se recuperava para voltar em breve à atividade política.
Ainda não se sabe se a morte tem alguma relação com a fratura. Em seguida, novas informações, a repercussão e a análise do cenário a partir da perda do homem que era visto como único capaz de aglutinar novamente a tríplice aliança em 2018. O governador já foi informado da morte, ocorrida há cerca de meia hora (o post é das 15:25 de hoje). Alexandre Fernandes, herdeiro político de LHS, confirmou o falecimento ao blog aos prantos. Presidente da Assembleia, deputado Gelson Merísio, cancelou o embarque para os EUA, que estava previsto para ainda hoje. O presidente da Alesc já estava dentro da aeronave quando foi avisado pelo blog da morte de Luiz Henrique. Ato contínuo, ele suspendeu a ida a Nova Iorque. O deputado Leonel Pavan o acompanharia e também ficou em Santa Catarina. 

Quem vai assumir é Dalírio Beber, do PSDB. A exemplo de Gerado Althoff, que assumiu com a morte de Vilson Kleinübing, o tucano vai ficar quase quatro anos no Senado.

ATUALIZAÇÃO DAS 17:14 – Luiz Henrique da Silveira morreu em Joinville, ao lado da mulher, Ivete Appel da Silveira. Depois do almoço, ele começou a se sentir mal, com falta de ar. Chamaram o Samu, que constatou que ele já havia tido uma parada cardíaca. LHS foi levado para o Hospital da Unimed, onde teve a segunda parada cardíaca. Ivete Appel está no hospital, onde também se encontra o prefeito Udo Döhler e o jornalista José Augusto Gayoso, assessor de imprensa do ex-senador desde 2002. Gayoso prepara uma nota oficial. Em princípio, o corpo vai ser velado no Centreventos de Joinville.

Foto: Ag. Senado, arquivo, divulgação

Posts relacionados

PMDB vence queda-de-braço com PSD pelo passe de Morastonis

Autor

Após 7 dias, Amin e Merisio sentaram novamente

Autor

Balneário: nota sobre “apagão” na gestão

Autor