Blog do Prisco
Coluna do dia

VIOLÊNCIA: EPIDEMIA NACIONAL

VIOLÊNCIA: EPIDEMIA NACIONAL

O Site de notícias G1 divulgou, ontem, os dados de um levantamento feito a partir do cruzamento de informações dos 26 estados e do Distrito Federal, traçando um mapa da violência no Brasil.

Curiosamente, enquanto os governos seguem divulgando a cantilena de que investem em segurança pública, o número de homicídios dolosos aumenta ano a ano. Em 2014, mais de 143 pessoas foram assassinadas no país a cada dia.

Ano passado, houve 52.336 assassinatos contra 50.413 em 2013, crescimento de 3,8%. Estes números indicam que houve, em média, 25,81 homicídios dolosos por 100 mil habitantes no país. Analisando-se o índice da Organização das Nações Unidas m(ONU), segundo o qual taxas maiores do que 10 mortes violentas por 100 mil pessoas significam “nível de epidemia”, fica claro que o sistema de segurança pública nacional faliu há muito tempo.

Até mesmo Santa Catarina, ainda considerado o Estado “mais seguro” do país, ostenta 11,3 assassinatos a cada 100 mil moradores. A epidemia só será contida com investimentos sérios e maciços em educação e geração de empregos. O resto é marketing.

 

 

 

Espanto na Eletrosul

O ex-prefeito de São José, Djalma Berger (PMDB), toma posse na presidência da Eletrosul nesta terça-feira, 28, a partir das 10h. Mas a escalação de seu time de assessores, com dois nomes já confirmados, chamou a atenção, gerando espanto nos corredores da maior estatal federal do Sul do país. Para a chefia de gabinete, o escolhido foi o fiscal da Fazenda estadual Gerson Berti. E para a assessoria do comandante, o ex-vereador e ex-secretário de Dário Berger (chegou a pilotar a pasta de Obras da Capital), Aurélio Remor.

 

 

Carreira ignorada

A prática de levar “estrangeiros” para assessorar o presidente da companhia não é usual. A praxe é a escolha de funcionários de carreira da Eletrosul. Não custa lembrar, também, que o secretário de Defesa do Consumidor da Capital e vereador Tiago Silva (PDT), umbilicalmente ligado ao senador Dário Berger (PMDB), será indicado para o conselho da empresa. Nenhum dos quatro, incluindo-se o próprio Djalma, tem experiência no setor elétrico.

 

 

Municipalista

Com dois meses de mandato já completados no Senado, Dalirio Beber (PSDB) reafirmou que seu principal objetivo é o fortalecimento dos municípios. O municipalismo, aliás, era bandeira de Luiz Henrique da Silveira, falecido em maio e a quem o tucano substituiu.

 

 

Contaminação

Já causa preocupação nas hostes do PSD e no Centro Administrativo a defesa ferrenha que o governador Raimundo Colombo vem fazendo em favor de Dilma Rousseff. Além de estar com a popularidade bem abaixo das projeções inflacionárias, a presidente insiste em um modelo econômico que já contamina inclusive Santa Catarina. Nos últimos três meses, por exemplo, o Estado, que se orgulhava de ser o campeão na geração de empregos, fechou 18.848 postos de trabalho. Nem os petistas defendem Dilma com tanta veemência como o líder lageano!

 

 

Fileiras

Valdir Cobalchini, presidente em exercício do PMDB Barriga-Verde, já realizou mais 90 encontros municipais este ano. Contabiliza oito mil novas filiações, com destaque para jovens e mulheres, chegando a mais de 185 mil filiados. Por onde passa, o peemedebista frisa que o partido terá candidato a governador em 2018.