Blog do Prisco
Coluna do dia

Voltas às origens

Atentos observadores da cena política  perceberam que, em alguns fechamentos eleitorais em cidades de médio e grande porte, o PSDB, na última hora, largou o PSD e aliou-se ao PMDB. Sinalização clara para 2018. E não apenas pela identificação entre as duas legendas em Santa Catarina – Luiz Henrique da Silveira foi o grande responsável pelo  crescimento do PSDB no Estado.

Além de atrair os tucanos em 2002 e governar com eles durante os dois mandatos, LHS também foi fundamental para eleger o atual senador tucano Paulo Bauer. Isso tendo um suplente também tucano, Dalirio Beber, que assumiu o mandato. Ou seja, PMDB e PSDB juntos é uma volta às origens. O PSDB surgiu de uma dissidência aberta do PMDB na segunda metade da década de 80.

Já o atual PSD nasceu de uma defecção do DEM, sucedâneo do PFL, que, por sua vez, teve suas raízes no PDS. PSD e PP juntas também seria um retorno ao DNA original. O componente nacional também não pode ser desprezado neste contexto. Os tucanos agora estão aliados a Michel Temer e ao PMDB no governo federal.

O presidente interino diz que não vai ser candidato em 2018, mas dependendo das circunstâncias pode ser o nome e levar, ainda, o apoio do PSDB.

 

Alinhamento

Evidentemente que um acordo para 2018 entre PMDB e PSDB trará reflexos em alguns Estados, dependendo de quem encabeçar a chapa nacional. Ou seja, a turma do PSD já percebeu que de alguma maneira, tucanos e peemedebistas estão se entendendo e o recado é claro: “se vocês quiserem venha, senão fiquem com o PP”.

 

Percepção

Raimundo Colombo, percebendo os movimentos entre PMDB e PSDB, entrou no circuito e fechou acordo com o PP. O PSD indicou o vice de Angela Amin, na figura do professor Rodolfo Pinto da Luz.

 

Resgate

Começa a circular hoje (15) o primeiro livro-reportagem sobre a morte do vereador Marcelino Chiarello (PT/SC), de Chapecó, em 2011. “Quem matou Marcelino?” foi escrito pelo jornalista Daniel Giovanaz, com base em 59 entrevistas inéditas realizadas entre janeiro e julho de 2016. O livro pode ser encomendado através do e-mail [email protected] ou adquirido nesta quinta-feira (18) nos jardins do Palácio Cruz e Souza, em Florianópolis, a partir das 18 horas.

 

Sintonia

Chama a atenção em Criciúma a sintonia entre a dupla Márcio Búrigo, do PP, e Acélio Casagrande, candidato a vice-prefeito pelo PMDB. Apesar da rivalidade histórica entre as siglas no Estado, os dois têm sido vistos juntos com grande frequência.

 

Imprensa

O  Prêmio Dakir Polidoro de Imprensa foi instituído pela Câmara  Municipal de Florianópolis em 2004, por indicação da Associação Catarinense de Imprensa, é uma homenagem aos profissionais que se destacaram nas diversas áreas da mídia na Capital. São escolhidos profissionais proeminentes nas categorias Repórter Fotográfico, Repórter Cinematográfico, Jornal, Televisão e Rádio.

As indicações ao Prêmio são feitas pela ACI com seis indicados em cada categoria. A Câmara Municipal de Florianópolis define os vencedores. O evento fecha os festejos dos 185 anos da imprensa catarinense e os 84 anos de fundação da Associação Catarinense de Imprensa – Casa do Jornalista.

 

 

 

 

 

 

 

Posts relacionados

Enxugamento e privatizações

Autor

Consenso no PSL

Shirlei Demetrio

Decreto de continuidade

leander