Blog do Prisco
Manchete

A noiva da vez em SC

Já registramos aqui que os dois partidos que têm mais se movimentado, crescido e que vêm reunindo as melhores perspectivas eleitorais, tanto no pleito deste ano quanto para as eleições de 2026, são o PL, do governador Jorginho Mello; e o PSD, de João Rodrigues, Julio Garcia e Eron Giordani.
O PP, que lá na origem era o PDS, vai fazer sua eleição nos moldes do que tem acontecido neste século, devendo eleger entre 40 e 50 prefeitos. O PL surge como um fato novo e aí ocupa espaços dos próprios progressistas, dos tucanos do PSDB, partido ao qual o governador já foi filiado e avança, ainda, na direção do MDB.
Partido que também será acossado por candidaturas do PSD. É do jogo. O Manda Brasa é, de longe, o partido com a estrutura mais exuberante do estado.
Já há mais de duas décadas a sigla não baixa de 100 Prefeituras conquistadas, ou um terço dos paços municipais em Santa Catarina. É a única legenda presente nos 295 municípios.

Capilaridade

Ultimamente o partido se especializou em vencer eleições nos pequenos e médios municípios. Nesse pleito não deve ser diferente.

Potência

O MDB deve manter Jaraguá do Sul, com o prefeito Jair Franzner que é favoritíssimo a conquistar mais um mandato.

Aposta

Os emedebistas também têm a aposta em Itajaí, com Carlos Chiodini, que transferiu domicílio eleitoral justamente de Jaraguá do Sul para a cidade peixeira.

Tripé

Até porque das três principais lideranças do MDB hoje, duas são de Jaraguá: o deputado estadual Antídio Lunelli e o federal Carlos Chiodini, que preside a seção estadual do partido.
Ao fim e ao cabo, o MDB é a noiva mais cobiçada na política catarinense a esta altura do campeonato.

Futuro

Não apenas para as eleições municipais deste ano como também com vistas às eleições gerais de 2026. Ano em que Jorginho Mello vai tentar a reeleição e o PSD tentará fazer o contraponto ao PL.

Dupla

São dois nomes pessedistas: João Rodrigues, favorito para a reeleição em Chapecó; e Clésio Salvaro, que aposta seu forte cacife político e eleitoral no pupilo Arleu da Silveira em Criciúma. Essa realidade estadual em construção para 2026, passará diretamente por outubro deste ano. As eleições municipais serão determinantes para a consolidação do quadro catarinense. Os sinais atuam são claros e apontam para um possível embate direto entre PL e PSD em 2026.

Teto vermelho

O PT, todos sabem, tem teto em todos os municípios. Baliza que geralmente não passa dos 30% do eleitorado.

Incógnita

E o Partido Novo? Ainda é muito embrionário como legenda. Verdade que administra a maior cidade de Santa Catarina, Joinville. Mas o próprio prefeito Adriano Silva ainda é muito cru politicamente falando.

Embocadura

O deputado federal Gilson Marques é um dos nomes do Novo que vem se destacando, inclusive em Brasília. Articulado e atuante, mas ainda não está no ponto em que poderia pensar seriamente em liderar um projeto estadualizado.

Posts relacionados

Entenda como funciona a composição tarifária da SCGÁS

Redação

Em visita ao CRIO, Vaguinho recebe reconhecimento pela atuação em prol da inovação

Redação

Jorginho, o governo, o partido e a eleição na Alesc

Redação