Blog do Prisco
Notícias Últimas

Ampliação de leitos tem início no Estado

Os novos leitos estão divididos entre a Grande Florianópolis e o Meio Oeste e Serra. São 5 UTI neonatal no Hospital Hélio dos Anjos Ortiz, em Curitibanos e 1 leito de UTI neonatal no Hospital Infantil Joana de Gusmão que também ganhou 8 leitos de cuidados intermediários pediátricos.

As tratativas entre a SES e as unidades hospitalares seguem acontecendo. Neste sentido, foram acrescentados 14 leitos de atendimentos infantis aos 68 anunciados anteriormente ampliando para 71 o número de UTIs, divididas entre neonatal e pediátrica além de 11 leitos de retaguarda. Desta forma, ainda há possibilidade de ampliação do número.

Além dos leitos para os pacientes infantis, serão abertos no dia 13, novos 10 leitos de UTI adulto e 17 de enfermaria instalados no Hospital Florianópolis. Com este incremento, o Estado passará a contar com 756 unidades de terapia intensiva adulto.

As unidades que ampliarão os leitos são: Hospital Pequeno Anjo, em Itajaí, com 6 leitos de UTI pediátrica; Hospital e Maternidade Jaraguá do Sul, com 2 de UTI pediátrica; Hospital Azambuja, em Brusque, com 10 de UTI neonatal e 2 de UTI pediátrica; Hospital Seara do Bem, em Lages, com 5 de UTI pediátrica; Hospital Governador Celso Ramos, Florianópolis, com 4 UTI adulto; Hospital Regional de Araranguá, com 5 de UTI neonatal; Hospital e Maternidade Carmela Dutra, Florianópolis, 3 leitos intermediários cangurú; Hospital Infantil Jesser Amarante Faria, em Joinville, com 10 de UTI pediátrica; Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul, com 4 de UTI neonatal; Hospital Materno Infantil Santa Catarina, em Criciúma, com 7 de UTI neonatal; Hospital Regional de São José, com 10 de UTI neonatal e 1 de UTI adulto.

Este movimento de ampliação faz parte da estratégia adotada para enfrentamento da sobrecarga do sistema de saúde frente as doenças respiratórias, características desta época do ano, bem como da COVID-19 e da dengue. Desde o dia 1º de junho está valendo o decreto de emergência em saúde que possibilita está ampliação de leitos com as unidades hospitalares, bem como prevê um aporte financeiro aos municípios.

Esse incremento de verba deverá ser utilizado em estratégias de campanha de vacinação, ampliação dos horários de atendimento da rede básica de saúde e combate ao mosquito da dengue.

foto>Secom, divulgação