Blog do Prisco
Coluna do dia

Bolo fatiado

Mereceu aplausos a iniciativa do coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB), de promover reunião da bancada federal com representantes das associações dos prefeitos e deputados estaduais em Florianópolis. 

Além de facilitar o deslocamento de muita gente, a reunião evitou as tradicionais viagens de comitivas a Brasília, reduzindo custos. O plenarinho da Alesc ficou lotado ontem de manhã. 

As lideranças apresentaram as principais demandas de suas regiões. Agora, os congressistas vão se reunir na Capital Federal para ver o que é possível compatibilizar dentro do orçamento das emendas de bancada. Se não houver cortes, estão previstos, para R$ 2020, R$ 250 milhões a serem indicados pelos parlamentares que representam Santa Catarina junto à União. 

Peninha vai deixando sua marca como coordenador da bancada federal. No ano que vem, ele passará o bastão ao jovem Daniel Freitas, do PSL. 

Aplausos

Absolutamente prioritária e providencial a primeira rodada da auditoria promovida pela Controladoria Geral do Estado em hospitais públicos. Ocorreu domingo em cinco instituições da Grande Florianópolis. Iniciativa do competente Luiz Felipe Ferreira, que assumiu a CGE, criada agora no governo Moisés da Silva. Ferreira está atuando em finíssima sintonia com o não menos competente Helton Zeferino, secretário de Estado da Saúde. 

Portas abertas

Chama a atenção a desenvoltura do empresário catarinense Luciano Hang junto ao presidente e ao vice, Hamilton Mourão. Desde a vitória de Jair Bolsonaro, ele já esteve inúmeras vezes com o presidente e a cúpula do governo federal, a exemplo do que ocorreu no 7 de setembro. 

De olho em 2022?

Consta, e até hoje ninguém desmentiu, que Luciano Hang teria sido o primeiro convidado a compor chapa com o então pré-candidato Bolsonaro. Depois dele, o espaço foi oferecido a Janaina Paschoal, que declinou e elegeu-se deputada por São Paulo. Só então o hoje presidente chegou ao general Hamilton Mourão. Toda essa movimentação sugere que Hang pode estar pensando em uma inserção político-eleitoral em 2022. Considerando-se que a relação entre Bolsonaro e Moisés da Silva está absolutamente fria, congelada mesmo, estaria pintando aí um nome para disputar o pleito estadual alinhado ao projeto nacional?

Luto

Pesar nos meios políticos de SC pela morte do ex-deputado Walmor de Lucca, que era marido da deputado estadual Ada de Lucca. Ele sempre foi muito ligado ao ex-governador Luiz Henrique da Silveira. Presidiu a Casan nos dois governos de LHS. Os dois eram do mesmo grupo de Ulysses Guimarães, assim como o também ex-deputado Renato Vianna. O trio de líderes catarinenses cumpriu mandatos juntos, quando também estava na Câmara o falecido Ulysses. Walmor de Lucca tinha como um dos traços de personalidade ser muito cáustico em reação àqueles que chamava de oligarquia.

Oligarquias

Lá em 2006, quando LHS disputava a reeleição, já com o apoio do PFL, houve um almoço de desagravo às acusações do PT contra Jorge Bornhausen. Os canhotos estavam chamando JKB de nazista. O então candidato a novo mandato promoveu um almoço para apoiar o aliado. Foi no Costão do Santinho. Do círculo mais próximo a LHS, apenas ele não compareceu. De Lucca morreu em casa, em Florianópolis.

Posts relacionados

Protagonismo tucano

Autor

Aleluia

Autor

O Brasil segundo Mourão

Autor