Blog do Prisco
Coluna do dia

Ciro inelegível

O Tribunal de Contas da União (TCU) já encaminhou aos tribunais regionais eleitorais a lista de 6,7 mil autoridades consideradas inelegíveis em todo o país. Elas não preenchem os critérios da legislação vigente, inclusive os da chamada Lei da Ficha Limpa. A “estrela” da lista catarinense é o ex-deputado e ex-prefeito de Brusque por três mandatos, Ciro Roza.

Nos bastidores, sabe-se que Roza teve papel decisivo na articulação que levou Bóca Cunha (PP) a vencer a eleição indireta realizada na cidade, e que está sub judice, pois tanto a Justiça Eleitoral como a comum consideraram o processo absolutamente irregular na primeira instância. Bóca mantêm-se na prefeitura a bordo de uma liminar do TJ, que também está sendo questionada. O PT e o DEM de Brusque, assim como a ala do PMDB ligada a Ari Vequi, também se uniram ao ex-prefeito e a Bóca, que já devolveu petistas ao poder na cidade. Eles estavam fora da prefeitura desde abril do ano passado, quando Paulo Eccel foi afastado.

 

Contabilidade

Coordenadora do Florianópolis 2020, a ex-prefeita Angela Amin participou de almoço no Conselho Regional de Contabilidade com integrantes da entidade. A intenção do encontro foi dar continuidade às contribuições que a sociedade civil organizada vem fazendo ao projeto capitaneado pelo Partido Progressista.

 

Temas

Angela entregou documento ao presidente do Conselho, Marcello Seemann, onde estão destacados os 11 temas prioritários que estruturam o projeto e definem o conceito de cidade criativa e gestão pública eficiente.

 

Espelho meu

A cada dia que passa, Michel Temer vai ficando mais parecido com Lula da Silva e Dilma. Não dá para dizer que não sabia que parcela significativa do partido que preside há 15 anos tenha se associado ao PT em uma organização para pilhar o Estado.

 

Reforço

Suplente na coligação, mas no exercício do mandato, Dalmo Claro de Oliveira  já participou, nesta semana, da reunião da bancada do PSD na Assembleia. Ou seja, sacramentou a troca do PMDB pelo partido de Raimundo Colombo e Gelson Merísio.

 

Bancadas

Isso significa que o PSD agora tem 10 parlamentares exercendo o mandato, pois há deputados do PMDB no primeiro escalão do governo. Momentaneamente, os pessedistas contam com a maior bancada na Alesc (10 contra 9 do PMDB). Mas, no frigir dos ovos, é preciso lembrar que foram os peemedebistas que elegeram 10 deputados contra 9 do PSD em outubro de 2014. O PSD havia perdido Maurício Eskudlark para o PR na janela da infidelidade de março, mas ganhou Ricardo Guidi.

 

Reflexos eleitorais

A migração de Dalmo também trará reflexos no quadro eleitoral de Joinville, onde o prefeito Udo Döhler (PMDB) já perdeu o apoio do PSB, do vice-prefeito Rodrigo Coelho, justamente para o PSD, que vai lançar o deputado Darci de Mattos à prefeitura.

 

União sulista

Deputados do Sul conversaram reservadamente durante a sessão desta terça, na Alesc. Trataram em conjunto, e levaram para a tribuna da Casa, a situação enfrentada na saúde, pelo hospital São José de Criciúma. Com cinco mandatos no histórico, o deputado estadual Valmir Comin puxou o discurso e foi seguido pelos novatos Luiz Fernando Cardoso e Ricardo Guidi. Os três defenderam a união da bancada para chamar a atenção do governo antes que novas greves ocorram.

Posts relacionados

O cavalo de Doria

Autor

PSDB com Bauer

Autor

Coluna do dia

Autor