Blog do Prisco
Coluna do dia

Coluna do dia

Dalírio entra em cena

A morte repentina de Luiz Henrique da Silveira significa que o tucano Dalírio Beber, natural de Massaranduba, mas com carreira profissional e política em Blumenau, terá três anos, sete meses e 15 dias de atuação no Senado.

A ascensão dele fortalece sobremaneira o PSDB blumenauense, com reflexos em todo o Vale do Itajaí e em Santa Catarina, muito embora a partir de uma perda irreparável para o PMDB.

Os tucanos passam a ter dois representantes por Santa Catarina na Câmara Alta. Além de Paulo Bauer, que por muito pouco não chegou ao segundo turno nas eleições de 2014, o próprio Dalírio sai dos bastidores da política e do partido para a ribalta.

Corretor de imóveis e advogado, o novo senador chegou à política pelas mãos do ex-prefeito de Blumenau, Renato Vianna, também do PMDB. Foi no começo dos anos 1990. Depois disso, o tucano tomou gosto pela política, chegou a ser candidato a prefeito de Blumenau, mas sua atuação sempre destacou-se mesmo nas articulações de bastidores. Sua chegada ao Senado também fortalece o prefeito Napoleão Bernardes, de quem Dalírio é o padrinho político.

 

Voos

Com dois senadores, o recall de 2014 e o prefeito da terceira maior cidade de Santa Catarina em ascensão, o PSDB aumenta seu cacife político para as próximas eleições, com destaque para o pleito estadual de 2018.

 

Responsabilidade

Luiz Henrique estava empenhado em garantir a reaproximação entre Raimundo Colombo e Eduardo Moreira em vida. Sua morte repentina forçou o reencontro no domingo à noite, ainda que protocolar. A partir de agora, os dois precisarão de muita responsabilidade e senso de dever público para manter a governabilidade e não prejudicar a sociedade com uma disputa meramente política.

 

Deschamps e Baumgarten

O fortalecimento do PSDB na região também pode desencadear uma articulação que estava somente em conversas reservadas:  O presidente da Assembleia, Gelson Merísio, quer o secretário Eduardo Deschamps (Educação) disputando a prefeitura de Blumenau pelo PSD. Já a dupla Raimundo Colombo e João Paulo Kleinübing aposta no empresário Ronaldo Baumgarten Júnior.

 

Quarteto

Sem Luiz Henrique, o PMDB deve ver crescer a temperatura por mais espaço em suas fileiras. Eduardo Moreira, Dário Berger, Mauro Mariani e Valdir Cobalchini devem atuar para ocupar o enorme vácuo deixado pelo ex-senador.

 

 

Posts relacionados

Rodrigues deve ficar no PSD

Autor

O preço do apoio

Autor

Realidade ou ficção?

Autor