Blog do Prisco
Notícias

Blumenau define projetos de prevenção a enchentes

Ficou acordado na reunião entre prefeitura de Blumenau e Defesa Civil de Santa Catarina que em 15 dias (contados a partir do dia 4 de julho) os técnicos do consórcio contratado pelo Estado, formado pelas empresas Engevix e Iguatemi, prefeitura e Defesa Civil devam se reunir novamente para definir quais projetos são prioritários para contenção de cheias e mitigação no município.

Após essa reunião, um novo encontro entre Secretários de Estado e Adjunto da Defesa Civil de Santa Catarina, prefeito e colegiado Blumenauense ocorre para tratar da implantação das ações em consenso, entre os dois poderes. A proposta é que isso ocorra daqui 30 dias.

Essas decisões foram tomadas após apresentação das possibilidades de projetos a serem implantados na cidade para reduzir os impactos das cheias. Para o prefeito, Napoleão Bernardes, alguns dos modelos apresentados já foram cogitados no passado, mas nunca levado para frente. “Essa conversa é extremamente importante para decidirmos juntos,” pontuou.

defesa civil milton hóbus blumenauO consórcio realiza o estudo técnico para uma Cheia de 50 anos, para Indaial, Blumenau e Gaspar. Foram realizadas, seções de topobatimetria dos estudos da JICA, Hidrograma de cheias, projetos de algumas pontes no rio Itajaí-Açu, medições de níveis da cheia de 2011.

Para chegar as propostas, a empresa desenvolveu inspeções de campo e reuniões com entidades envolvidas na resposta aos eventos de enchentes, estudos hidrológicos e confirmação das vazões de projeto, avaliação dos dados topográficos disponíveis, implantação de marcos topográficos para apoio dos levantamentos, realização de levantamentos topo- batimétricos no rio Itajaí-açu e nos afluentes principais, modelagem hidráulica preliminar dos trechos em estudo, identificação das soluções alternativas de projeto e avaliação preliminar dos resultados.

Propostas:

Diante desse material, as empresas consolidaram que há necessidade de aprofundamento da calha do Rio-Itajaí, alargamento das margens do Rio Itajaí-Açu, utilização de diques ao longo do rio, separadamente nas cidades de Blumenau, Indaial e Gaspar, implantação de túnel de derivação em Blumenau, a solução final selecionada para o rio Itajaí-Açu deverá contemplar uma combinação das medidas estruturais acima relacionadas.

Sobre os diques, cogita-se a instalação de algumas estruturas em bairros mais afastados do centro, mas também um dique de contenção, na área da Avenida Beira-Rio. Para isso, um novo traçado teria que ser revisto.

Em relação ao túnel de transposição que serviria como um canal de escoamento em período de cheia e via de fluxo do
trânsito em período de seca, foram apresentadas três propostas. A primeira contempla um túnel rodoviário único, um duplo, ambos de 12 metros de largura e 07 de altura. Ou ainda um modelo único com galerias, de 15 metros de extensão e sete de altura. A quarta opção seria duplo, com 15 metros e 13 de largura. Essa última opção seria composta por galerias na parte inferior e na parte superior com galerias.

Os técnicos de engenharia do consórcio acreditam que se as ações forem bem instaladas, o volume de cheia pode cair
significativamente no futuro, com redução de até 50 centímetros nas regiões da Ponta Aguda e Avenida República Argentina.

O Secretário de Estado, Milton Hobus acompanhou a apresentação inicial. Garantiu que esse processo de visita a prefeitura e discussão, é uma maneira de que haja consenso entre as duas administrações de Estado e município para decisões que vão além de uma solução paliativa. “Temos que pensar em projetos macros. No passado, estavam preocupados em ter recurso para fazer, por isso não saiu do papel. Hoje, temos que pensar em proteger as pessoas. É o que buscamos com essas possibilidades,” afirmou.

Foto: Paulo Cesar Santos, divulgação

Posts relacionados

Audiência vai debater projeto que beneficia pequenos municípios

Redação

Luciano Naschenweng reeleito para ACMP

Autor

Procuradoria recorre de decisão que dá vaga de federal a Ana Paula

Redação