Blog do Prisco
Manchete

Deputado do Novo apoia mudanças no governo de SC

A demissão do secretário de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP), Edenilson Schelbauer, e o adjunto da pasta, Neuri Mantelli, ocorrida após denúncia do deputado estadual Matheus Cadorin (Novo) na tribuna da Assembleia Legislativa, foi considerada pelo parlamentar como uma ação correta do governador Jorginho Mello. “O governador pode contar sempre com meu trabalho para fiscalizar e buscar oportunidades de melhoria nos serviços prestados pelo Governo aos catarinenses”, destacou Matheus Cadorin (foto).

DENÚNCIA NA TRIBUNA – A saída foi motivada por suspeitas de irregularidades em um processo de compra de uniformes para detentos realizado pela SAP. O processo foi denunciado por Cadorin na tribuna da Assembleia Legislativa no dia 12 de julho. O parlamentar solicitou a suspensão imediata do contrato suspeito de irregularidades, entre a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa e uma empresa privada do município de Mafra.

CONTRATO MILIONÁRIO – O contrato em questão é para o fornecimento de uniformes de inverno para os presos. Cadorin também solicitou que a SAP não realize pagamento algum para a empresa, e que seja instaurada sindicância investigativa para a apuração de possíveis irregularidades. O parlamentar também quer a abertura de vista do processo para a Controladoria Geral do Estado e para o Ministério Público. O contrato com dispensa de licitação representaria um custo para o Estado de cerca de aproximadamente R$ 5 milhões.

O fato de ter membros do governo envolvidos em uma possível irregularidade desagradou o governador, que ordenou a primeira exoneração de integrantes do primeiro escalão de sua gestão à frente do Governo do Estado. Schelbauer é funcionário de carreira da administração prisional e foi uma reivindicação da categoria na escolha do secretariado pelo governador. Mantelli foi agente em caráter temporário (ACT) no ano passado.

CERTO E JUSTO – Cadorin explicou que sua denúncia, que resultou na demissão do secretário e do secretário-adjunto, teve o objetivo de ajudar o Governo do Estado: “Não sou um deputado de oposição. Sou pelo certo e pelo justo. O que é bom para Santa Catarina e os catarinenses têm meu apoio. O que pode trazer prejuízo para o Estado será sempre combatido por mim e pelos integrantes do Partido Novo”, resumiu.